quinta-feira, 22 de novembro de 2018

DEFESA POR UMA DOUTRINA PENTECOSTAL

Resultado de imagem para pentecostal

Como está difícil ser igreja nesses últimos dias! As igrejas antigas e conservadoras estão envolvidas em política - muitas vezes política suja, as novas são cada vez mais liberais e seus líderes vivem descomprometidos com a sã doutrina e com o Reino de Deus. Os pregadores do passado, que antes tinham nome e eram instrumentos para trazerem um avivamento, estão caídos ou desfaleceram suas forças por causa do cansaço e velhice. Os pregadores do presente, longe do valor e da coragem de nossos pais, são "ousados" (para não dizer arrogantes) e vivem como lobos devoradores, visando somente a gordura e a lã do rebanho. Esses tais, antes mesmo de terem uma experiência com Deus, têm a  visão do lucro, com ganhos exorbitantes em nome de teologias erradas, expondo suas heresias, como da falsa teologia da prosperidade, por exemplo. Não se fazem mais pregadores como antigamente, não se fala mais na Cruz de Cristo e nem na loucura de sua mensagem .

Sou assembleiano desde o berço de minha fé e vejo com tristeza igrejas morrendo por não defenderem uma doutrina pentecostal e nem pregarem a grandeza da realidade espiritual chamada Batismo com o Espírito Santo. Não se fazem mais seminários sobre os dons espirituais como no passado. Lamentável, mas parece que os eclesiólogos que desdenham do pentecostalismo estão realmente certos por apostarem em um mundo sem pentecostalismo, um mundo pós-pentecostalismo, e já escrevem acerca de como será esse mundo sem o movimento pentecostal.

E nós, o que estamos fazendo para mudar? Investimos em estratégias de crescimento, em festas, em produção de cds para serem vendidos, fomentamos o comércio livreiro para arrecadarmos dinheiro, alimentamos a confecção de camisetas, abusamos de slogans puramente materialistas e seculares para despertar o poder da "fé" - ou seria poder da mente? -  e o potencial humano que existe dentro de cada um.

Sou de um tempo em que quando nos reuníamos para realizar uma cruzada, discutíamos o alcance das almas. Nossas metas eram almas e quantas mais almas salvas melhor seria. Contudo, já tive o desprazer de ouvir em uma reunião de líderes de jovens acerca de quanto se poderia arrecadar com o aluguel de espaços para barracas para os novos "vendilhões do templo". Temos, na maioria das igrejas, líderes plutarcos e gananciosos, carismáticos como os apresentadores de tv, mas de fazerem inveja a Al Caponne: lobos vorazes que enganam o povo de Deus.

O Espírito Santo está sendo convidado a se retirar de nossas igrejas e aos poucos estamos aprendendo a realizar cultos sem sua intromissão. Para quê inspiração se o que o povo quer é ouvir sobre prosperidade, vitória, chave ou abertura de portas? Cá pra nós, para pregar sobre prosperidade não precisa de graça de Deus: é só decorar uma meia-dúzia de versículos de textos sugestivos, mexer com o sensacional, o emocional do povo e dizer que Deus vai abrir uma porta e mudar sua vida.

Urge a necessidade de uma mudança que passe pelas lideranças insanas por dinheiro e poder e que chegue ao povo em forma de arrependimento e comoção de modo a se obter uma renovação eclesiológica-litúrgica. As mensagens precisam parar de falar em cifras e falar mais acerca da cruz, deixar de lado o sensacional e mostrar o poder real da Palavra de Deus a fim de convencer  e salvar vidas. Todos os defensores da tal teologia da prosperidade estão condenados ao fracasso como pregadores, porque a mensagem deles está dissociada da Cruz de Cristo. São lobos devoradores, perigosos, vorazes, famintos, desavergonhados. Todos os dias a sã doutrina os desmascara, mas ainda assim proclamam inverdades cotidianamente tendo as mentes cauterizadas, pregando mentiras como se fossem verdades, enganando os outros e sendo enganados. Eles terão suas recompensas.

Maranata. Ora vem Senhor Jesus!!!
Deus abençoe a todos.

Um comentário:

Clezio Uchoa disse...

A mais pura verdade Pr. Guedes, Grande abraço, Deus abençoe.