sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

MINHA GRATIDÃO À CIDADE DE SÃO PAULO

Como alguns já devem saber estou de mudança, voltando para minha terra natal: o Ceará. Quero agradecer à Cidade de São Paulo pelos 24 anos aqui vividos (quatro em Americana). Durante todos esses anos nada me faltou e tive em abundância. São Paulo me acolheu como um filho e faz jus ao apelido que alguns lhe dão de "caldeirão de raças" dada a sua hospitalidade. Aqui são recebidos judeus e árabes, turcos, coreanos, japoneses, italianos, americanos, latinos, africanos e nós, os nordestinos, com o mesmo abraço. A capital paulista e o povo paulistano são amigos, dóceis (com raras exceções de gangs "nazistas" que odeiam todos os que não são seus) e reconhecem a contribuição do nordestino na construção dessa grande metrópole.

Aqui conclui meus estudos, fiz faculdade de Teologia, fui levado ao ministério, dirigi igrejas. Aqui conheci minha esposa e Deus me deu dois filhos. Ao contrário de Noemi, cheguei sozinho, vazio, mas volto com esposa e filhos, cheio de novas experiências, graças à Graça de Deus e as quatro igrejas que dirigi desde que assumi o pastorado, os pastores que tive, as aulas de EBD e de Teologia, graças às vigílias e pregações que ouvi de meus pastores e amigos pregadores.

Querendo Deus, estaremos, minha família e eu, desembarcando na capital cearense amanhã, dia 31.12.11, às 23:00hs e devo passar o reveillon em minha nova igreja. Nunca pude dizer com tanta ênfase: Ano Novo Vida Nova, Cidade Nova, Igreja Nova,...Claro, que tudo isso quem fez foi o Senhor e é coisa maravilhosa aos nossos olhos. A Ele toda glória e honra por tudo que vivi aqui em Sampa.

Forte Abraço e abraço a todos os amigos que deixo em São Paulo e aos novos amigos que terei em Fortaleza.

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

REDE GLOBO, PROMESSA E O EVANGELHO-CULTO-SHOW

Estou sem tempo para escrever. Aliás, estou sem tempo para nada rsrs. Escolhi mais um artigo do meu Amigo Pastor Ciro para compartilhar com vocês.

Boa leitura!

Uma porta global se abriu para o evangelho-show


Já adianto que este é mais um artigo antipático em tempos de festa. Aproveitarei para dizer hoje tudo o que gostaria de afirmar a respeito da porta global que se abriu para o evangelho-show, pois, nessa época de Natal e virada de ano, não é bom ficar falando de assuntos negativos. Prometo que, a partir de amanhã, se Deus quiser, vou mudar de assunto e apresentar mensagens mais suaves...

Abriu-se, de fato, uma porta global para a pregação do Evangelho, como muitos ufanistas têm dito nas redes sociais? Ou a porta foi aberta principalmente para beneficiar as celebridades gospel — que já venderam milhões de discos — e, consequentemente, a maior emissora de TV do Brasil? Será que esta convidaria um pregador do Evangelho para discorrer sobre o maravilhoso Natal de Cristo, sua Morte expiatória e sua gloriosa Ressurreição? Isso, sim, caso tivesse ocorrido, seria motivo de uma grande festa do povo de Deus!


Mas alguém argumentará: “A porta se abriu para os cantores, e agora eles poderão se apresentar com frequência na maior emissora de TV do Brasil e, com certeza, pregarão o Evangelho”. Sinceramente, não é isso que temos visto em outras emissoras, onde os astros da música gospel já têm o seu espaço. E o que ouvimos, no Festival Promessas, com raríssimas exceções, foi uma amostra do tipo de evangelho que será pregado: bordões antropocêntricos, que massageiam o ego das pessoas, mas não lhes apresentam verdadeiramente o Evangelho, que é poder de Deus para a salvação (Rm 1.16).


Oremos para que Deus nos abra portas grandes e eficazes para a pregação do Evangelho, e não apenas para a realização de shows gospel. A Bíblia não é contra a música e os cantores de sucesso. Jesus até cantou um hino antes de sua crucificação! Mas a nossa prioridade é a exposição do Evangelho (At 6.1-7). Você sabia que dois terços do ministério terreno do Senhor foram ocupados pela pregação do Evangelho e o ensino da Palavra?


Desculpe-me, caro leitor. Eu sei que estou sendo um estraga-prazeres, antipático. Mas, o que está escrito em 1 Coríntios 16.9? 
“Porque uma porta grande e eficaz se me abriu, e há muitos adversários”. Quando Deus verdadeiramente abre-nos a porta da pregação do Evangelho, como a abriu para o apóstolo Paulo, os adversários (Satanás, os demônios e todos os seus emissários) se voltam contra nós. Mas a mídia está aplaudindo de pé a porta global que foi aberta para o evangelho-show.

Até um conhecido jornal de São Paulo — pasme! —, favorável ao liberalismo e que sempre teve uma posição contrária à pregação do Evangelho, comemorou: “Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou para a Globo e os evangélicos”. Por quê? Porque o evangelho-show não confronta o pecado. Ele é maleável, suave, agradável, massageia egos e está aberto ao ecumenismo...


O festejado evangelho-show avança a passos largos, sem nenhuma dificuldade. Mas não se esqueça do que o Senhor Jesus previu a respeito do verdadeiro Evangelho: “Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas por minha causa” (Mt 5.11,12).


Ciro Sanches Zibordi

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

AFINAL QUE CONSENSO HÁ ENTRE CRISTO E REVERENDO MOON?

Atenção: o texto abaixo é de autoria do meu Amigo, Pastor, Escritor e Conferencista Ciro Sanches Zibordi.


Por que os cristãos não devem se associar ao “reverendo” Moon?


Há algum tempo, o pastor assembleiano Enoque Lima, de Goiás, vem denunciando que existe uma aliança entre um líder — ou, talvez, um grupo de líderes — de certo segmento da Assembleia de Deus com o “reverendo” coreano Sun Myung Moon. Respeito todos os ministérios da Assembleia de Deus, mas também reconheço que não há como negar a veracidade dos vídeos inseridos no YouTube pelo aludido pastor.

Muitos se aproveitam de deslizes de alguns líderes para atacar instituições de modo generalizante. Mas, neste artigo, o meu objetivo é apenas alertar a todos quanto ao perigo de qualquer cristão se associar a Sun Myung Moon. Afinal, em 1 Coríntios 5.11 está escrito: “não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais”.


Para o “reverendo” Moon, o derramamento do precioso sangue do Senhor Jesus não foi suficiente para a remissão dos nossos pecados. E, segundo ele, um novo Messias precisou vir ao mundo para concluir a obra que o Senhor não conseguiu realizar — que blasfêmia! Moon se apresenta como esse novo Messias. E a principal missão da sua seita, a Igreja da Unificação, é propagar essa mensagem.


Não é a primeira vez que líderes evangélicos, por falta de conhecimento, se envolvem com o tal “reverendo”. Lembro-me de um grande evento realizado no Uruguai, na década de 1990, o qual teve a participação de pastores de várias denominações. Na época, todas as despesas de viagem, hospedagem, etc. foram pagas pelo milionário Moon, e muitos líderes evangélicos de renome — mesmo conhecendo o abominável propósito desse heresiarca — não resistiram à tentação...


Alguém poderá dizer: “Ora, qual é o problema de um pastor assembleiano de renome ter amizade com o líder de uma seita? Afinal, todos devem se unir pela paz mundial”. De fato, os líderes da Assembleia de Deus não devem odiar o “reverendo” Moon. Entretanto, como ter comunhão com alguém que — de modo blasfemo —, além de se considerar o Messias, desdenha do sangue derramado pelo Cordeiro de Deus, considerando-o insuficiente para nos purificar de todo o pecado?


Conquanto a Assembleia de Deus, ao longo de sua história, tenha se dividido e se subdividido, ainda há líderes, de todos os ministérios e convenções, que não se prostraram diante de “Baal”. Eles não dormem, pois sabem que, “dormindo os homens, veio o inimigo, e semeou o joio no meio do trigo” (Mt 13.25). E eles sabem que o Senhor não aprova o jugo desigual com os infiéis (2 Co 6.14-18). A sua Palavra não abona essa comunhão ecumênica que não prioriza a verdade das Escrituras.


Que sociedade tem o cristianismo com o budismo e as seitas orientais? Que comunhão têm as igrejas evangélicas com a Igreja da Unificação? Que concórdia há entre a Assembleia de Deus e o moonismo, uma seita anticristã? Que parte tem a liderança assembleiana com os adeptos do “reverendo” Moon? E que consenso tem o verdadeiro Evangelho com as heresias de perdição propaladas pelo aludido heresiarca?


Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 29 de novembro de 2011

JUSTIÇA CONDENA PASTOR CAIO FÁBIO A PRISÃO POR DOSSIÊ CAYMAN

É doloroso publicar tais coisas, mas temos que ser imparciais e manter o povo de Deus bem informado. Que Deus tenha misericórdia dele e de nós. 


Justiça condena pastor Caio Fabio por dossiê contra PSDB em 98

 
FOLHA DE SÃO PAULO

A Justiça Eleitoral condenou o pastor evangélico Caio Fábio D'Araújo Filho a quatro anos de prisão por seu envolvimento no chamado "dossiê Cayman", informa reportagem deJosé Ernesto Credencio, publicada naFolha desta terça-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
O conjunto de papéis comprovadamente falso surgiu como tentativa de incriminar a cúpula do PSDB na campanha de 1998.
Caio Fábio, o único condenado pelo episódio até agora, foi considerado responsável por elaborar e divulgar o dossiê, incorrendo em crime de calúnia, agravado por ter envolvido o então presidente da, Fernando Henrique Cardoso. Ele pode recorrer.
A sentença, da juíza de primeira instância Léa Maria Barreiros Duarte, é baseada em uma investigação da qual participou também o FBI, a polícia federal norte-americana.
OUTRO LADO
O pastor nega participação na elaboração e na divulgação do dossiê. "Tenho a consciência absolutamente tranquila. Não estou nem um pouco preocupado com isso."
Ele afirmou que os papéis apenas passaram por suas mãos. "Nunca vou mudar minha versão. Não tenho nada mais a falar do caso."
Seu advogado, Edi Varela, disse que entrou com recurso e nega crime eleitoral. "Esse assunto só surgiu depois das eleições, não entrou na campanha, ninguém usou."

Editoria de Arte/Folhapress

 
Fonte: Vi no Blog da Rô.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

DEU NO NEW YORK TIMES: SILAS MALAFAIA É UMA VERGONHA NACIONAL

ATENÇÃO ESSA MATÉRIA FOI REPRODUZIDA NA ÍNTEGRA DO BLOG GENIZAH

Deu no New York Times: Silas Malafaia é uma vergonha nacional.


Infelizmente para a imagem dos brasileiros, o perfil traçado foi profundamente negativo e colocou o Sr. Malafaia como líder do que os estadunidenses entendem ser uma “guerra cultural” no país, antagonizada pelos evangélicos pentecostais.

É lamentável não somente pelo estereótipo de “guerra”, algo que não deveria combinar com a atuação dos cidadãos do Reino de Deus no mundo, mesmo quando confrontados com cenários de declínio moral, pois já sabemos que apenas o Evangelho é capaz de mudar um quadro de decadência humana em favor da abundante da Graça, assim como é igualmente deprimente constatar que uma pessoa como Silas Malafaia é percebido e tratado pela mídia global como um líder proeminente dos cristãos brasileiros, sendo este alguém que não somente não tem a envergadura ética e moral de um líder cristão, como de fato, é ideólogo de uma doutrina absolutamente aviltante ao Evangelho.

Na verdade, a percepção de liderança do Sr. Malafaia é superestimada, forjada pela sua superexposição na mídia, construída sobre polêmicas, golpes e a atitude de um verdadeiro troglodita. Esta é uma liderança que todo cristão verdadeiro deveria refutar. Somos envergonhados como cristãos e brasileiros ao ver estampado em tão prestigiado jornal o retrato de um líder espiritual em nada semelhante ao que se deveria ser um imitador de Cristo.

Quando foi que a igreja protestante brasileira perdeu, de tal forma, as suas referencias que permite a  personalidades de moral suspeita, como o boquirroto Silas Malafaia e outros igualmente envolvidos nos mais variados escândalos financeiros e criminais, venham representar e liderar o povo santo de Deus?

Na reportagem do New York Times estão expostas ao mundo todas as recentes esculhambações de Malafaia, incluindo a polêmica do "fornicar o funico" e outras presepadas. Malafaia teve ainda o desplante de, durante a entrevista, chamar uma jornalista de vagabundaEliane Brum, por conta desta reportagem AQUI.

Fico a imaginar o estrago deste testemunho global dado pelo “evangelho” pregado majoritariamente no Brasil, bem como, acerca de nossos “pastores famosos” envolvidos em escândalos, crimes  e golpes e, cujo caráter nada santo, os coloca em evidencia mundial, não porque fizeram a diferença positiva na sociedade, ou levaram o Evangelho aos povos, mas por sua intolerância religiosa, exploração criminal da fé alheia e incontinência verbal.

Resumo da ópera: A melecada do meio evangélico nacional está no New York Times. A seguir, oferecemos a tradução de maior parte da entrevista, que pode ser lida na íntegra, em inglês, no NYT.






SIMON ROMERO
FORTALEZA, BRASIL 

 
Líder evangélico emerge em meio a guerra cultural no Brasil

 
Mauricio Lima for The New York Times

Os Livros SILAS MALAFAIA, que vendem aos milhões no Brasil, têm títulos tais como "Como derrotar as estratégias de Satanás" e "Lições de um Vencedor". O seu jato privadoGulfstream trás em sua fuselagem a inscrição em inglês “God´s Favor” ou "Favor de Deus.

Como tele evangelista de televisão, o Sr. Malafaia atinge espectadores em dezenas de países, incluindo Estados Unidos, onde a Daystar e Trinity Broadcasting Network transmitem seus sermões. Por mais de 30 anos, o Sr. Malafaia, 53, vem reunido em torno de sua pregação pentecostal igrejas prosperas e os mais diversos empreendimentos.

Apesar disto, Sr. Malafaia, jamais teria atraído qualquer atenção para além de seus próprios seguidores e fieis de sua igreja se ele não tivesse se colocado em tanta proeminência no que podemos chamar de versão brasileira de guerra cultural. Afinal, o Brasil tem outros líderes evangélicos que comandam grandes impérios, como Edir Macedo, cuja Igreja Universal do Reino de Deus controla a Rede Record, uma das maiores redes de televisão do Brasil. Outros, como Romildo Ribeiro Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, são conhecidos por maior zelo missionário.

Mas é o Sr. Malafaia que recentemente atraiu a maior atenção, quando apontou seus ataques verbais contra uma ampla gama de inimigos, incluindo os líderes do movimento gay do Brasil, os defensores do direito ao aborto e apoiantes da descriminalização da maconha.

"Eu sou o inimigo público n º 1 do movimento gay no Brasil," disse Malafaia em uma entrevista este mês em Fortaleza, uma cidade no nordeste do Brasil, onde ele levou uma de suas "cruzadas", um evento misturando pregações e música para cerca de 200.000 pessoas, onde lágrimas correm dos rostos de alguns dos participantes mais apaixonados, enquanto outros dançam ao som das performances de abertura do evento.

Antes de subir ao púlpito, o Sr. Malafaia nos contou como se tornou um cobiçado convidado de programas de TV, atuando como antagonista em debates com a liderança gay. Mas isso é apenas uma pequena parte de seu repertório. Televisão é apenas um dos muitos meios à disposição do Sr. Malafaia. No Twitter, ele tem quase um quarto de milhão de seguidores  e em vídeos distribuídos no YouTube, ele não só ataca seus liberais, mas também jornalistas e líderes evangélicos rivais.

Não surpreendentemente, sua proeminência crescente fez dele fonte de admiração e inquietação. Ele mobilizou este ano milhares de pessoas em uma passeata na capital do país, Brasília, contra um projeto de lei que visando ampliar legislação anti-discriminação para incluir a orientação sexual.

"Ele é como Pat Robertson, no sentido de ser um pioneiro na movimentação da direita evangélica brasileira para a esfera política nacional", disse Andrew Chesnut, especialista em religiões latino-americano da Virginia Commonwealth University, comparando o Sr. Malafaia para o evangelista de televisão favorito dos conservadores americanos.

[...]

Em um ensaio em novembro, a jornalista Eliane Brum escreveu sobre a crescente intolerância de parte dos evangélicos para com ateus e ainda sobre o que ela chamou de "uma disputa cada vez mais agressiva por participação de mercado" entre as grandes grandes igrejas brasileiras.O ensaio de Brum desencadeou uma onda de reações entre os pentecostais e as palavras do Sr. Malafaia estavam entre as mais cáusticas.

Durante esta entrevista , o Sr. Malafaia chamou a Sra. Brum de "vagabunda", e repetiu diversas vezes a sua afirmação de que "os ateus comunistas" da antiga União Soviética, Camboja e Vietnã foram responsáveis por mais mortes do que "as guerras de origem religiosa."

Por caricatura ou padrão, a linguagem agressiva do Sr. Malafaia tem, frequentemente, se tornado um espetáculo para a mídia. Em novembro, a Revista Época informou que o Sr. Malafaia, durante comentários em uma tensa entrevista concedida ao noticioso, tratando da tomada de medidas legais contra Toni Reis, um proeminente, um defensor dos direitos gays, Malafaia disse que iria "fornicar" Sr. Reis. Sr. Malafaia soltou uma explicação dado conta que ele tinha, de fato, dito que iria "funicar" Sr. Reis. Contudo, quando os pesquisadores informaram que não tinham sido capazes de encontrar a palavra dita por Sr. Malafaia em nenhum dos dicionários de referência da língua, Malafaia informou ser esta é uma gíria significando algo como "trucidar".

A visibilidade do Mr. Malafaia obtida em tais episódios tem alimentado dúvidas sobre suas ambições políticas. Ele disse não ter vontade de se candidatar a nada, pois isto poderia torná-lo em dívida com um partido político específico, limitando assim a visibilidade que ele tem agora.

"Deus me chamou para ser um pastor", disse ele, "e não vou trocar isto para ser um político."

Mas influência política é outra questão. Sr. Malafaia disse que votou duas vezes para o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e durante anos teve acesso aos corredores do poder de Brasília. Mas ele também contou uma anedota sobre a sucessora de Lula, a Presidente Dilma Rousseff, que sugere quão importantes as figuras evangélicas estão se tornando no cenário eleitoral. Ele disse que ela falou com ele por telefone durante 15 minutos durante a campanha presidencial do ano passado, tentando atrair o seu apoio. Mas ele disse que recusou por causa de diferenças ideológicas com o Partido dos Trabalhadores do governo do Sr. da Silva, um ex-líder trabalhista, e Sra. Rousseff, uma ex-participante em um grupo guerrilheiro. Eu disse a ela: 'Eu não tenho nada pessoal contra você. Eu acho que você é uma mulher inteligente e qualificada ", disse ele. "Mas como posso votar em você se eu passei quatro anos lutando com um grupo de seu partido que quer apoiar um projeto de lei que beneficia gays e me prejudica?“

O Sr. Malafaia contava estas estórias agitado, em um português cada vez mais carregado de sotaque carioca, enquanto cortava o ar com seus dedos adornados com anéis de ouro e diamantes incrustados.

Sua persona ganhou quase o status de estrela do rock entre alguns apoiantes. "Eu não o reconheci sem bigode", disse Erineide Mendonça, 39, uma empregado do hotel de Fortaleza onde o Sr. Malafaia estava hospedado, referindo-se ao cabelo facial, uma marca registrada que Malafaia manteve por longos anos. "Mas eu reconheci a voz dele", disse ela, pedindo para ser fotografada com o evangelista que ela adora.

Tanto o Sr. Malafaia como a sua esposa, Elizete, são formados em psicologia, e quando ele sobe ao púlpito, sua voz ecoa nos sermões carregados de lições de auto-ajuda e perseverança.

Seu tema favorito envolve o sucesso e como alcançá-lo. Enquanto ele próprio diz viver em relativa humildade, não como um milionário.

Malafaia não se desculpa por sua própria ascensão material. Na verdade, ele a celebra, divulgando, por exemplo, o seu Mercedes-Benz – uma doação de um amigo próspero, explica. Há também o exclusivíssimo jato particular Gulfstream, adquiridos de segunda mão nos Estados Unidos, disse Malafaia, não por ele, mas por sua organização religiosa sem fins lucrativos, a um preço razoável.

"O papa voa em um jato jumbo", disse referindo-se ao avião fretado à Alitalia que transporta o bispo de Roma. E denuncia o que parece ser um comportamento de duplo padrão de julgamento: "Mas, se um pastor viaja em um avião à jato particular com algum uso, ele é considerado um ladrão."



Tradução e comentários Genizah.


Malandro é malandro. A matéria do New York Times é mencionada no site do Sr. Malafaia, o " Verdade" Gospel como uma grande honraria recebida pelo referido pastor. Obviamente, não oferece a tradução da matéria, pois se assim o fizesse a coisa ficaria até ridícula. O engraçado são os comentários ao post: "grória, grória. yess".

E vai ficar assim. Se o camarada é tão néscio para cair na lábia do Malafaia, é daqueles que escutam suas pregações e não conferem na Palavra e, muito provavelmente, também não irá conferir a matéria na fonte e, se por um milagre o fizer, provavelmente dirá "Cumá hot dogs ok hamburguer microsoft forevis! Malafaia is biltifu!".


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2011/11/deu-no-new-york-times-silas-malafaia-e.html#ixzz1f1d6u5aP
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A "BRIGA" PELO IBOPE: IURD VERSUS G12 E VALDOMIRO VERSUS RATINHO. E O EVANGELHO, ONDE FICA?

Prezados Amigos e Leitores, é com tristeza que recebo mensagens do Brasil inteiro acerca de mais um escândalo evangélico. Sim, escândalo porque um dos significado da palavra é obstáculo e os últimos acontecimentos, vindos a público, estão servindo mais de impedimento ao crescimento sadio do evangelho em nosso país do que de incentivo. Pensei em dar o título de "vergonha de ser evangélico", mas ainda tem muita gente boa em nosso meio, que crê na possibilidade de mudança e ainda me orgulho de ser evangélico, por isso resolvi intitular como podem ver acima.

Arrazoemos. Primeiro, a quem interessa essa "briga" no chamado arraial gospel? Por que na rede de tv do Bispo Macedo não tem programas de outras igrejas evangélicas? Por que ele quereria exclusividade? Não seria porque pensou em abocanhar todas as fatias do gráfico da pizza evangélica? Não se enganem, quem pensa assim tem também a voracidade de querer fazer calar as outras vozes. Segundo, os cantores afetados pelas declarações do mandatário da Record também estão defendendo sua fatia de mercado e não o Reino de Deus. Terceiro, esse jogo de empurra já entrou para o cardápio dos crentes desavisados que, ao ouvirem uma declaração do Bispo, correm para outra emissora para ouvir a réplica dos outros "pseudos-ecos proféticos" nas outras emissoras.

Está demorando para o povo de Deus, que tem discernimento e deveria ser o povo mais inteligente da terra, perceber que trata-se de uma jogada de marketing publicitário e a expectativa dos evangélicos é sempre a mesma: "O que será que fulano vai falar?" ou "Quem dará a melhor resposta?" ou ainda: "Quem dará a melhor réplica e como será a tréplica". E nós blogueiros ficamos parecendo jornalistas de quinta categoria, daquelas revistas de fofocas de celebridades, procurando o melhor furo para sair na frente e ter mais acesso e mais seguidores. Onde está o comprometimento com a Verdade e com o Reino?

O que eu tenho a ver com Carlos Massa, o Ratinho? Um ímpio que conhece a Verdade e não a segue. O que dizer do "apóstolo" que o ameaçou, dizendo que pode pedir fogo do céu. Ora, Carlos Massa estava defendendo não a Verdade e a Moralidade do Evangelho, mas defendendo seu amigo pessoal, o Sr. Silas Malafaia que perdeu o horário da TV Bandeirantes para o "apóstolo da Mundial". E mais: Carlos Massa sabe que mexer com o apóstolo Valdomiro hoje dá IBOPE, enquanto o líder da IMPD, dando declarações ameaçadoras baseadas no AT, demonstra desconhecer o espírito do NT quando Jesus reprovou o pensamento dos Boanerges, os filhos do trovão, dizendo: "Vós não sabeis de que espírito sois. O Filho do Homem não veio para destruir as almas mas para salvá-las" (Lc. 9.55,56). Por outro lado o apóstolo sabe que suas palavras terão repercussão na mídia e que alfinetar o Ratinho também traz audiência.

Esses senhores deveriam era pregar o evangelho. As almas estão morrendo e o Brasil ainda é um país que precisa ser evangelizado. Nunca tivemos um poder tão grande em termos de presença midiática. Enquanto brigam por espaço na mídia e se alfinetam publicamente, as almas estão indo para o inferno a passos largos. Por isso serão julgado com um juízo mais rigoroso. Viraram atração de final de semana e o povo de Deus, por conta disso, perde o foco da evangelização. O assunto nas igrejas hoje é: "Você viu o que ele fez e o que outro falou?". Outro: "É, mas espera só para ver o que outro vai retrucar. Eu gosto dele e ele sempre tem mais argumentos" e assim esses senhores vão fortalecendo ainda mais suas bases midiáticas.

Está na hora de acordarmos para a nossa realidade. As emissoras estão ganhando rios de dinheiro com esses senhores. A Rede Globo está rindo ao melhor estilo gargalhada porque vê o Bispo metendo as mãos pelas pernas - isso porque sua igreja está diminuindo dia após dia. Cansado de bater na Globo, resolveu espancar as outras denominações que estão crescendo co a debandada da IURD. O Ministério (ministério?) "X" defende o êxtase do "cair no espírito". Outro, em lugar de defender o Senhor Jesus, Sua Pessoa, Sua Obra, Seu Caráter, Sua Igreja e Seu Reino, vem a público defender o poder da toalhinha ungida. Outro ainda, que nem foi citado, vem à internet, achando que tem que ter resposta e opinião para tudo, expondo-se desnecessariamente. E por que tudo isso? A resposta é: MÍDIA, IBOPE, AUDIÊNCIA, DESTAQUE. Traduzinho: Poder, dinheiro, mais tempo na telinha e mais retorno financeiro. Além de sede de aparecer, têm uma necessidade tremenda de se manterem na "crista da onda" para venderem seus produtos gospels que vão de toalhinhas a Bíblias comentadas por gringos e enciclopédias teológicas encalhadas nas editoras americanas. ISSO NÃO TEM NADA A VER COM EVANGELHO DE JESUS CRISTO. EM NADA HONRA A DEUS, NÃO TENDO NADA COM O REINO DE DEUS. E esses senhores estão servindo de escândalo, de obstáculo ao crescimento do evangelho genuíno no Brasil.

Enquanto isso na cracolândia, no centro velho das metrópoles, na boca do lixo de qualquer cidade, nas bocas de fumo espalhadas nos bairros, nos bailes funks nas periferias, nas festas raves das classes média e baixa, as drogas vitimam adolescentes e jovens, a imoralidade invade o espaço na família, a prostituição televisiva corrompe os valores  e a violência familiar destrói casamentos... O pecado voraz e velozmente cresce, se espalha e continua levando jovens e pessoas de todas as idades para o inferno, distanciando-as ainda mais de Deus.

E A PREGAÇÃO DO EVANGELHO ONDE FICA EM TUDO ISSO?

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O QUE SIGNIFICA RENÉ TERRA NOVA SER ELEITO APÓSTOLO E EMBAIXADOR DO BRASIL?

Prezados leitores, como estou sem tempo para escrever devido a correria de tempo de provas e afins, andei garimpando notícias para publicar aqui e deparei-me com essa: RENÉ TERRA NOVA É ELEITO APÓSTOLO EMBAIXADOR DO BRASIL E DA AMÉRICA LATINA. Sabe o que isso significa para mim? Nada. Nada e ao mesmo tempo muita coisa. Nada para mim porque em nada me afeta, uma vez que não reconheço esse senhor e nem seu suposto apostolado como uma voz profética para o Brasil, mas um prejuízo muito grande para o evangelho de Jesus Cristo e de inúmeros crentes incautos que seguem essa fé "apostólica", sedenta de poder e cega de simplicidade, para não dizer oca, vazia. Os evangelistas e tele-evangelistas brasileiros, os fundadores de novos movimentos, são movidos todos pelo mesmo espírito megalomaníaco dos astros do rock e do cinema, dos árabes e russos que compram times de futebol. Todos, sem exceção, são movidos pelo mesmo espírito que tenta usurpar o lugar de Deus e a sua glória, que Ele não dá a outrem, conforme Isaías 42. O Espírito de Deus ao contrário do que esses senhores fazem, veio para glorificar a Cristo e não a si  mesmo (João 16.13,14). Esses senhores têm como "deus" seus próprios ventres, como está escrito em Filipenses 3.17 a 19:
"Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas".

O texto abaixo não é meu, mas de Renato Vargens

Acabei de saber que o patriarca apostólico Rene Terra Nova, adiquiriu mais um titulo. É isso mesmo! Se já não bastasse o titulo de Patriaca das nações, Terra Nova agora foi eleito o Apóstolo Embaixador do Brasil e da América Latina. Veja a noticia abaixo:
  
" Hoje, 10 de novembro, no Texas, EUA, durante a Convenção dos Apóstolos da Coalisão Apostólica Internacional (ICA), o Apóstolo Renê Terra Nova foi oficialmente reconhecido pela ICA como Apóstolo Embaixador, para representar o Brasil e América do Sul. 
Segundo declarou o Ap. Renê Terra Nova, em seu twitter oficial, @ReneTerraNova, ser Apóstolo Embaixador da ICA se constitui numa grande honra, pela confiança a ele depositada, e isso vem representar um novo tempo de Deus sobre sua vida, e sobre o Brasil, que hoje verdadeiramente é uma Nação apostólica." 
Caro leitor, estou começando a acreditar que chegará um dia em que o Terra Nova se considerará vice-deus.


Infelizmente, este senhor tem pecado contra Deus comentendo o mesmo erro de Satanás, tomando  para si um lugar que não lhe pertence. Lamentavelmente, em um curto espaço de tempo,  Terra Nova, foi pastor, apóstolo, paipostolo, patriarca apostólico e agora apóstolo embaixador.

O  que será que vem mais por aí?

Deus tenha misericórdia de cada um de nós.

Em tempo: A mim ele não representa, nem tampouco reconheço nele autoridade pastoral, que dirá apostólica.
Renato Vargens

MARANATA. ORA VEM SENHOR JESUS!
DEUS ABENÇOE A TODOS.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

CAIO FÁBIO CONVIDA ESTEVAM HERNANDES E SILAS MALAFAIA AO ARREPENDIMENTO E À SIMPLICIDADE DO EVANGELHO

Caio Fábio chama Estevam Hernandes e Silas Malafaia para simplicidade do evangelho

  Gospel Prime

O líder evangélico critica a forma como esses líderes pedem ofertas e diz que chora para que eles se arrependam.

Durante um programa da Vem e Vê TV o pastor Caio Fábio falou que os grandes líderes evangélicos precisam voltar ao evangelho puro e simples, citando nomes como o de Estevam Hernandes, Bispo Rodovalho e Silas Malafaia.

O programa começa com um questionamento a respeito da igreja Sara Nossa Terra, se eles pregam ou não o evangelho. Caio Fábio responde que tem pessoas que pregam e outras que não pregam o evangelho de Deus dentro dessa denominação e ainda conta que recentemente esteve com o bispo Rodovalho.
“Eu não tenho inimizade com ninguém. O meu desejo é que todo mundo venha para a simplicidade do evangelho”, disse ele que também cita um encontro que teve há muitos anos atrás com o casal Hernandes, fundadores daIgreja Renascer em Cristo.

“Enquanto
eu não vejo a pessoa dar fruto de arrependimento e continuar pregando as mesmas coisas, ensinando as mesmas mazelas, enganando as pessoas do mesmo jeito, por mais condoído que esteja meu coração, antes me importa obedecer a Deus do que os homens”, diz Caio Fábio sobre Estevam e Sônia Hernandes.

Citando outros líderes evangélicos, o apresentador do programa Papo de Graça fala que  seu maior desejo é ver grandes homens de Deus desistindo “dessa loucura” que seria a teologia da prosperidade. Ele cita também o pastor Silas Malafaia e faz uma observação referente a forma como o pastor assembleiano tem ministrado sobre oferta.

Caio Fábio chega a mostrar um vídeo onde Malafaia pede para que fiéis que morem de aluguel doem uma porcentagem do valor do aluguel como oferta, ou mesmo a prestação da casa. “Eu choro, me dá uma angústia… uma agonia”, diz Caio Fábio sobre o vídeo.
“Eu quero que eles se arrependam!”, termina.

Assista ao vídeo:



domingo, 23 de outubro de 2011

DIA DAS BRUXAS NAS IGREJAS E A REFORMA PROTESTANTE

Muita gente não sabe, mas o Dia das Bruxas, o Samhain ou Halloween, Ano Novo céltico (31 de outubro), tem uma conexão com o Dia de Todos os Santos da Igreja Católica Romana. Este era originalmente celebrado em maio, e não no primeiro dia de novembro.

No ano 608, o imperador romano Focas apaziguou o populacho dos territórios pagãos recentemente conquistados, permitindo-lhe combinar o antigo ritual de Samhain com o Dia de Todos os Santos. E, assim, o panteão de Roma, templo edificado para a adoração de uma multiplicidade de deuses, foi transformado em igreja.


Foram os imigrantes europeus, especialmente os irlandeses, que introduziram o Halloween nos Estados Unidos. Hoje, o Dia das Bruxas
 é muito importante para os lojistas, inclusive no Brasil. Salém, em Massachusetts (Estados Unidos), é a sede da bruxaria norte-americana. Ali celebra-se, na época do Halloween, o Festival da Assombração, para expandir a temporada turística de verão. Tudo parece uma grande brincadeira, mas — conscientemente ou não — os participantes dessa festa estão se envolvendo com o ocultismo e o satanismo.

Por outro lado, algumas denominações evangélicas, além de realizarem festas similares às juninas (o que já é um absurdo), estão promovendo também, no fim de outubro, uma espécie de Halloween, decorando o ambiente com abóboras, etc. Elas alteram o nome da brincadeira satânica para Jesusween ou Elohin! Aos pastores destas igrejas quero apresentar um motivo melhor para festejar.


Em vez de comemorarem o Dia das Bruxas, os pastores que se prezam deveriam se lembrar da Reforma Protestante. Na manhã de 31 de outubro de 1517, véspera do Dia de Todos os Santos, Martinho Lutero — sacerdote romanista, professor de teologia e filho de um minerador bem-sucedido — começou a questionar de modo mais contundente a Igreja Católica e a atacar a autoridade do papa.

Lutero, então, afixou na porta da Catedral de Wittenberg (pronuncia-se vitemberk) um pergaminho que continha 95 declarações. Estas, conhecidas como teses, eram quase todas relacionadas com a venda de indulgências (pacotes caros pagos pelo perdão, inclusive das pessoas que já haviam partido para a eternidade).


Em junho de 1520, Lutero foi excomungado por uma bula — decreto do papa que continha o seu selo oficial. Em dezembro do mesmo ano, com ousadia, ele queimou esse documento em reunião pública, à porta de Wittenberg, diante de uma assembleia de professores, estudantes e o povo. No ano seguinte, foi intimado a comparecer ante as autoridades romanistas, em Worms. E declarou: “Irei, ainda que me cerquem tantos demônios quantas são as telhas dos telhados”.


No dia 17 de abril de 1521, Lutero apresentou-se à Dieta do Concílio Supremo, presidida pelo imperador Carlos V. Para escapar da morte, teria de se retratar. Mas ele não faria isso, a menos que fosse desaprovado pelas próprias Escrituras. E asseverou perante todos: “Aqui estou. Não posso fazer outra coisa. Que Deus me ajude. Amém”.

Considerado herege, ao regressar à sua cidade Lutero foi cercado e levado por soldados ao castelo de Wartzburg, na Turíngia, onde ficaria “guardado”. Ali, ele traduziu o Novo Testamento para o alemão, obra que, por si só, o teria imortalizado. Ao regressar a Wittenberg, reassumiu a direção do movimento a favor da Igreja Reformada, e a partir daí os princípios da Reforma Protestante se espalharam por toda a Europa, com ajuda de homens de valor, como Ulrico Zuínglio, João Calvino, Jacques Lefevre, João Tyndale, Tomás Cranmer, João Knox, etc.


Assim como muitos teólogos estão fazendo hoje, os católicos romanos haviam substituído a autoridade da Bíblia pela autoridade da igreja. Eles ensinavam que a igreja era infalível e que a autoridade da Bíblia procedia da tradição. Os reformadores afirmavam que as Escrituras eram a sua regra de fé, de prática e de viver, e que não se devia aceitar nenhuma doutrina que não fosse ensinada por elas. A Reforma devolveu ao povo a Bíblia que se havia perdido, passando a considerá-la a fonte primária de autoridade.


Nesses tempos difíceis, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos cristãos sérios estão dispostos a protestar contra as heresias verificados entre nós (2 Pe 2.1; At 20.28), à semelhança de Lutero?

Vi no Blog do meu Amigo Pr. Ciro Sanches Zibordi



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

FALSAS PROFECIAS ATRAPALHAM O CRESCIMENTO DO EVANGELHO



Por Elben M. Lenz Cezar

O americano Robert Fitzpatrick, de 60 anos, gastou 140 mil dólares para espalhar a notícia de um tremendo terremoto que atingiria o planeta todo no dia 21 de maio deste ano. Ele acreditou piamente na profecia de outro americano, chamado Harold Camping, fundador e diretor da Family Radio, com sede em Oakland, na Califórnia. Como centenas de outras, essa profecia não se cumpriu.

Aqui no Brasil, o porta-voz do Movimento Salvar Almas, formado por leigos católicos moradores do Estado de Santa Catarina, garante que o fim dos tempos acontecerá no dia 21 de dezembro do próximo ano.

Essas profecias só servem para ridicularizar e desacreditar o Cristianismo. Além do mais, elas conseguem exatamente o oposto. Em vez de aguardar com segurança as promessas bíblicas que dizem respeito à escatologia (doutrina das últimas coisas), o povo zomba dessas coisas. Os falsos profetas e seus sectários são indesculpáveis, pois Jesus deixou bem claro que não nos compete saber “os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade” (Atos 1.7). Ninguém tem o direito de invadir a privacidade do Todo-Poderoso e ninguém tem acesso à sua agenda. O próprio Jesus, em outro momento, declarou enfaticamente: “Quanto ao dia e à hora [dos acontecimentos escatológicos] ninguém sabe” (Marcos 13.32).

O grande erro do tal americano que jogou fora 140 mil dólares (o equivalente a 245 mil reais) para anunciar o juízo final não foi essa providência em si, mas a imprudência de aceitar como absolutamente certa a profecia de Harold Camping.

Eu, de minha parte, continuo crendo, continuo pregando e continuo a alimentar a esperança da plenitude da salvação. Essa plenitude diz respeito às coisas mais desejáveis pelo ser humano: a ressurreição de todos os mortos, a morte da morte, o juízo final e os novos céus e a nova terra. E o que vai dar início a essa esperança é a própria parusia (numa linguagem mais sofisticada) ou o segundo advento de Cristo (numa linguagem mais simples). Eu acredito piamente, tranquilamente, alegremente, que Jesus “aparecerá segunda vez” (Hebreus 9.28), “com poder e grande glória” (Mateus 24.30), e que “todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram e que todos os povos da terra se lamentarão [de tristeza] por causa dele” (Apocalipse 1.7).

Se Robert Fitzpatrick tiver outros 140 mil dólares e quiser me ajudar a espalhar a plenitude da salvação, eu faria uma edição especial da revista Ultimato só sobre o assunto com uma tiragem de 268 mil exemplares, todavia sem mencionar qualquer data!
Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

VOCE CONHECE SÃO SÉRGIO E SÃO BACO? OS PADROEIROS DOS GAYS GANHARAM UM ORATÓRIO NA IGREJA ANGLICANA


Igreja Anglicana consagra oratório para os santos padroeiros dos homossexuais



A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil realizou um culto neste domingo, 9, para consagrar um pequeno oratório para às imagens de São Sérgio e São Baco, santos padroeiros dos homossexuais. O evento aconteceu na igreja de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e reuniu cerca de 20 pessoas.
São Sérgio e São Baco eram militares e viviam em união estável quando se converteram ao cristianismo no século III, até que foram denunciados e perseguidos pelo Imperador Maximiano, que mandou torturá-los e condená-los à morte. Por esse motivo eles são considerados mártires pela Igreja Anglicana que este ano apoiou a Parada da Diversidade Homo afetiva e com um cartaz que dizia “Deus não discrimina ninguém”.
“A igreja precisa difundir o direito de rezar sem ser discriminado. Não somos só uma igreja de gays, mas uma família. Não julgamos ninguém e acolhemos a todos”, declara o reverendo Carlos Eduardo Calvani, líder da igreja Anglicana para o site G1.
Fonte: Gospel Prime