segunda-feira, 23 de maio de 2011

ASSEMBLEIA DE DEUS MODERNA E A RELATIVIZAÇÃO DOS USOS E COSTUMES.

A Bíblia está cada vez mais sendo trocada pelas "baladas gospel".

A matéria que segue foi enviada por email pelo meu amigo Rodrigo. Sei que o assunto é polêmico, mas postei com a intenção de fazer o povo de Deus, mormente os assembleianos, refletir sobre o tema: relativização dos usos e costumes, modernidade e frouxidão moral. Uma igreja para ser moderna precisa de inovações litúrgicas e mudança na prática cristã ou ela o é pelo fato de ser contextualizada com seu tempo? Digo, precisa mudar a “cara” ou conceitualmente? É moderna por que está na mídia, tem um líder moderno, um layout e uma arquitetura avançada ou por que deixa seus membros fazerem o que quiserem? Festa Jesuína no lugar de Festa Junina, Bloco de Carnaval e Luta-livre Gospel sob pretexto de evangelização e Balada Gospel é ser moderno? Ser moderno nesses moldes traz um preço para santificação? Ora, sabemos que os usos e costumes não salvam e mesmo a Assembleia de Deus Tradicional, já mudou o discurso e sabe que estes não estão vinculados à salvação, mas à identidade denominacional. Não sou contra a modernidade em si. Nada tenho contra igrejas grandes e modernas, ou quem prega com laptop, desde que sua igreja tenha vida e guarde a sã doutrina. O problema é que em muitas igrejas (não todas), juntamente com a liberação dos usos segue uma enxurrada de concessões que mexem até mesmo com a moralidade cristã e práticas litúrgicas. A meu ver a igreja precisa de um avivamento genuíno! Leia a matéria e tire suas conclusões. Procurando uma imagem para postar, encontrei um texto bem humorado e interessante que publiquei no final deste artigo. Boa leitura! 

Na edição 2167, do dia 20 de maio de 2011, a revista Isto É trouxe como destaque o Pastor Samuel Ferreira, filho do presidente da Assembléia de Deus Ministério Madureira. Revista secular fez um comparativo da pregação de hoje do Pastor Samuel no templo em que lídera no Brás, São Paulo, com as tradicionais regras e esteriótipos que a Assembléia de Deus possui com relação a usos e costumes.

Confira a reportagem na integra abaixo:
O evangélico desavisado que entrar no número 560 da ave­nida Celso Garcia, no bairro paulistano do Brás, poderá achar que não está entrando em um culto da Assembleia de Deus. Maior denominação pentecostal do País – estima-se que tenha 15 milhões de adeptos, cerca de metade dos protestantes brasileiros –, historicamente ela foi caracterizada pela postura austera, pelo comedimento na conduta e, principalmente, pelas vestimentas discretas de seus membros. Por conta dessa última particularidade, tornou-se folclórica por forçar seus fiéis a celebrarem sempre, no caso dos homens, de terno e gravata e, entre elas, de saia comprida, camisa fechada até o punho e cabelos longos que deveriam passar longe de tesouras e tinturas. Era a igreja do “não pode”. Não podia, só para citar algumas interdições extratemplo, ver tevê, praticar esporte e cultuar ritmos musicais brasileiros. A justificativa era ao mesmo tempo simples e definitiva: eram coisas do capeta.

No templo do Brás, porém, às 19h30 do domingo 15, um grupo de cerca de vinte fiéis fazia coreografias, ao lado do púlpito, ao som de uma batida funkeada. Seus componentes – mulheres maquiadas e com cabelos curtos tingidos, calça jeans justa e joias combinando com o salto alto; homens usando camiseta e exibindo corte de cabelo black power – outrora sofreriam sanções, como uma expulsão, por conta de tais “ousadias”. Mas ali eram ovacionados por uma plateia formada por gente vestida de forma parecida, bem informal. Palmas, também proibidas nas celebrações tradicionais, eram requisitadas pelo pastor Samuel de Castro Ferreira, líder do templo e um dos responsáveis por essa mudança de mentalidade na estrutura da Assembleia de Deus, denominação nascida em Belém, no Pará, que irá festejar seu centenário no mês que vem. “Muitos chamam de revolução, mas o que eu faço é uma pregação de um evangelho puro, sem acessórios pesados”, afirma ele, 43 anos, casado há vinte com a pastora Keila, 39, e pai de Manoel, 18, e Marinna, 14. “A maior igreja evangélica do País está vivendo um redescobrimento.”

Sentado em uma cadeira logo ao lado do coral, Ferreira, que assistiu à televisão pela primeira vez na casa do vizinho, aos 7 anos, escondido do pai, Manoel Ferreira, pastor assembleiano, desliza o dedo indicador em um iPad segunda geração enquanto o culto se desenrola. Acessa a sua recém criada página no Twitter por meio da qual, em apenas um mês, amealhou mais de 110 mil seguidores. Quando se levanta para pregar a palavra, deixa visível o corte alinhado de seu terno e a gravata que combina com o conjunto social. Não que o pastor se furte em pregar de jeans, tênis e camisa esporte – tem predileção por peças da Hugo Boss –, como faz em encontros de jovens. “Samuel representa a Assembleia de Deus moderna, com cara de (Igreja) Renascer (em Cristo)”, opina o doutorando em ciências da religião Gedeon Alencar, autor de “Assembleias de Deus – Origem, Implantação e Militância” (1911-1946), editora Arte Editorial. “Os mais antigos, porém, acham o estilo dele abominável.”

Natural de Garça, interior de São Paulo, formado em direito e com uma faculdade de psicologia incompleta, Ferreira é vice-presidente da Convenção de Madureira, que é comandada por seu pai há 25 anos e da qual fazem parte 25 mil templos no Brasil, entre eles o do Brás. Os assembleianos não são uma comunidade unificada em torno de um líder. Há, ainda, os que seguem a Convenção Geral, considerada o conglomerado mais poderoso, e o grupo formado por igrejas autônomas. Ferreira assumiu o templo da região central da capital paulista há cinco anos e passou a romper com as tradições. Ao mesmo tempo, encarou uma cirurgia de redução de estômago para perder parte dos 144 quilos. “Usar calça comprida é um pecado absurdo que recaía sobre as irmãs. Não agride a Deus, então liberei”, diz o pastor, 81 quilos, que até hoje não sabe nadar e andar de bicicleta porque, em nome da crença religiosa, foi proibido de praticar na infância e na adolescência.

Sua Assembleia do “pode” tem agradado aos fiéis. “Meu pai não permitia que eu pintasse as unhas, raspasse os pelos ou cortasse o cabelo”, conta a dona de casa Jussara da Silva, 49 anos. “Furei as orelhas só depois dos 40 anos. Faz pouco tempo, também, que faço luzes”, afirma Raquel Monteiro Pedro, 47 anos, gerente administrativa. Devidamente maquiadas, as duas desfilavam seus cabelos curtos e tingidos adornados por joias pelo salão do Brás, cuja arquitetura, mais parecida com a de um anfiteatro, também se distingue das igrejas mais conservadoras.

A relativização dos costumes da Assembleia de Deus se dá em uma época em que não é mais possível dizer aos fiéis que Deus não quer que eles tenham vaidade. A denominação trabalha para atender a novas demandas da burguesia assembleiana, que, se não faz parte da classe média, está muito perto dela, é urbana e frequenta universidades. É esse filão que está sendo disputado. Uma outra igreja paulista já promoveu show no Playcenter. No Rio de Janeiro, uma Assembleia de Deus organiza o que chama de Festa Jesuína, em alusão à Festa Junina. Segundo o estudioso Alencar, as antigas proibições davam sentido ao substrato de pobreza do qual faziam parte a grande maioria dos membros da Assembleia de Deus. “Era confortável para o fiel que não tinha condição de comprar uma televisão dizer que ela é coisa do diabo. Assim, ele vai satanizando o que não tem acesso.”

Importante figura no mundo assembleiano, o pastor José Wellington Bezerra da Costa, 76 anos, presidente da Convenção Geral, não é adepto da corrente liberal. “Samuel é um menino bom, inteligente, mas é liberal na questão dos costumes e descambou a abrir a porta do comportamento”, afirma. Ferreira, por outro lado, se diz conservador, principalmente na questão dos dogmas. Em suas celebrações, há o momento do dízimo, do louvor, da adoração e um coral clássico. Ao mesmo tempo, é o torcedor do Corinthians que tuita pelo celular até de madrugada – dia desses, postou que saboreava um sorvete às 4h30 –, viaja de avião particular e não abre mão de roupas de grife. Um legítimo pastor do século XXI. 

Fonte: Rodrigo Santiego

CRENTE TRADICIONAL X CRENTE MODERNO

O Crente tradicional diz: “Glória a Deus”. / O Crente moderno diz: “Deus, tamo junto”.

O Crente tradicional vai à vigília. / O crente moderno vai à Balada Gospel.

O Crente tradicional ora. / O Crente moderno bate um papo.

O Crente tradicional compra DVD pirata. / O Crente moderno também.

O Crente tradicional lê a Bíblia. / O Crente moderno navega na Bíblia, on line.

O Crente tradicional vai ao culto. / O Crente moderno vai ao evento.

O Crente tradicional de paletó e gravata vai ao culto. / O Crente moderno de paletó e gravata vai à “Festa do estranho”.

O Crente tradicional não gosta do diabo. / O Crente moderno também não.

O Crente tradicional de bermuda e camiseta vai dormir. / O Crente moderno de bermuda e camiseta vai ao culto.

O Crente tradicional entra em mistério no corinho de fogo. / O Crente moderno entra em mistério no jogo “Detetive”.

O Crente tradicional faz o louvor. / O Crente moderno toca o som.

O Crente tradicional cai em pecado. / O Crente moderno dá um vacilo.

O Crente tradicional ora pedindo trabalho. / O Crente moderno ora pedindo um emprego.

O Crente tradicional faz planos. / O Crente moderno faz umas paradas.

O Crente tradicional é chamado de varão. / O Crente moderno é chamado de parceiro.

O Crente tradicional determina sua bênção. / O Crente moderno pechincha.

O Crente tradicional  murmura. / O Crente moderno também.

O Crente tradicional é otimista. O Crente moderno é de boa.

O Crente tradicional ora para passar na faculdade e esquece de estudar. / O Crente moderno também.

O Crente tradicional oferta. / O Crente moderno deixa sua semente.

O Crente tradicional é levita. / O Crente moderno é profissional da música.

O Crente tradicional pede forças. / O Crente moderno invoca poder.

O Crente tradicional tem revelação. / O Crente moderno tem Déjà vu.

Um texto de: Thiago Matso 



Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

30 comentários:

Jaan Tammerik disse...

Na minha opinião, o grande problema, não está em simplesmente liberar, ou continuar dizendo no pulpito sobre se este ou aquele comportamento está correto, se é santo ou não.
Hoje infelizmente não se trata o membro da igreja como ovelha, e sim como um potencial "cliente-consumidor" ou "prestador de serviço", seja na liturgia do culto ou administrativamente falando.
Li um artigo (Revista Ultimato Dez/2004) sob o titulo: Pastores de Fantasia x Ovelha de Fantasia, onde transcrevo um parte abaixo:

É claro demais: não havendo ovelhas, não há necessidade alguma nem de igrejas nem de pastores.

Tão claro quanto: não havendo alunos, não há necessidade nem de escolas, nem de professores; não havendo doentes, não há necessidade nem de hospitais, nem de médicos. Isto quer dizer que, havendo ovelhas, há necessidade de pastores.

Assim como há decepção mútua entre estudante e professor, há também decepção mútua entre ovelha e pastor. Os dois tem de saber que a decepção é de ambos os lados. Assim é mais fácil tratar do problema do relacionamento entre um e outro. É como se fosse um desconforto conjugal, que exige humildade e diálogo de ambos os cônjuges para recuperar a harmonia perdida.

O problema é antigo e preocupante. Há ovelhas que se queixam amargamente de seus pastores e há pastores que se queixam amargamente de suas ovelhas. Enquanto Deus se queixa de ambos ou, conforme o caso, só de um deles.

Concordo plenamente com a ideia do autor, hoje estamos vivendo um tempo onde o mais importante é o exterior, ou se usa desse artificio para "ganhar almas", ou aumentar "faturamento" da igreja, menciono assim pois hoje certos lideres estão deixando muito claro que é o dinheiro em primeiro lugar e não o membro. Nos cultos gasta-se mais tempo tentando justificar um gasto e garantir uma arrecadação, do que com a palavra ou liturgia.
O Testemunho, o buscar a "ovelha perdida" desgarrada do aprisco não existe mais.
Hoje se um membro deixa de ir a igreja, principalmente se ele não for abastado, não "se nota" sua ausencia, não há membro, diácono, prebitero ou até mesmo "pastor auxiliar" que queira ao minimo saber o motivo do seu afastamento.
Além de que quantos membros que enfermos são esquecidos até mesmo de participarem da Santa Ceia por falta da "igreja" que lembre deles.

Esse é o "mal" da igreja "grande"...

Pastor Guedes disse...

Caro Jaan,

A Paz do Senhor!

Agradeço por sua visita e comentário.

Esse mal tem acometido de fato as igrejas de um modo geral e principalmente as que se servem de uma grande estrutura, onde, geralmente, não se desenvolve a afetividade entre os membros e mesmo com as lideranças. Ed Renné Kivitz escreveu em seu livro "Quebrando os Paradigmas" diz que as igrejas deveriam ter no máximo 400 membros para poderem preservar os relacionamentos. Penso que as grandes igrejas deveriam investir urgente na koinonia, na comunhão, e em uma teologia do afeto.

Não sou contra igrejas grandes e crescimento de igrejas, mas creio que deve-se crescer com infra-estrutura. Espiritualmente falando isso torna-se possível dando, desde o início do projeto, primazia à Palavra e à sã doutrina. Também Naanã Mendes em seu livro "Igreja, lugar de Vida" trata dessas questões.

Agradeço por suas visitas e comentários.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Batalhando pela fé Cristã. disse...

A paz do Senhor,

Eu e minha mãe acabamos de ler a matéria publicada pela IstoÉ. Eu nasci nessa igreja, minha mãe também e meus avós foram obreiros pioneiros do campo do Brás aqui em São Paulo. Entendo, e é razoável que a igreja hoje não é igual aquela de 50 anos atrás (nem tem como), mas, hoje em dia, estão confundindo contextualização com mundanismo, invencionices e modismos. Continuamos, porém, servindo a Deus. Que Deus nos ajude a encontrar o equilíbrio e fugir dos extremos.

Deus abençoe
Charles Araújo

OBS: Obrigado por seguir nosso blog, estamos seguindo o seu!

Pastor Guedes disse...

Caro Charles,

A Paz do Senhor!

Agradeço por sua visita e comentário.

Concordo com seu posicionamento. Para ser moderna não precisa ser mundana e nem seguir modismo.

Eu que agradeço por seguir meu humilde blog.

Deus abençoe sua casa.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Pr. Daniel disse...

Li a matéria da revista e fiquei impressionado com o que li, eu particularmente prefiro manter o bom costume e a boa doutrina, como sempre nos dizemos, "é importante inovar sem mundanizar". Deus abençoe a todos!

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Daniel, meu Amigo,

A Paz do Senhor!

Também acredito que a igreja possa se modenizar sem perder a identidade cristã.

Deus lhe abençoe e obrigado pela participação.

Forte Abraço!

Non Nattus Júnior disse...

Olá Servo de Deus!
A discursão não é sobre comportamento e, sim de valores. Estas transformaçãos é na verdade a adptação aos valores seculares. É mais Cômodo dizermos que estarmos modernirzando, os usos e costumes da igreja do que assumimos que estamos copiando os valores ,usos e costumes do mundo!
"Transformai-vos o mundo pela renovação do vosso entendimento". Estamos querendo dá um entendimento ao formato que o mundo vive, dizendo que serve para o reino. Jesus Cristo não trouxe uma mensgem de reconcliação com os valores do mundo,mas de rompimento.E aqueles que o segue encontra um sentimento inexistente das coisas que o mundo oferece.

Sou Batista Regular. Obrigado pela visita ao meu blog.
Deus te abençõe.

Pastor Guedes disse...

Caro Non Nattus Júnior,

A Paz!

Tenho acompanhado seu blog e seus excelentes comentários aqui.

Sem dúvida sua colocação é correta. Muitos estão se adequando a coisas que têm valor apenas para o mundo sob o pretexto de que é preciso modernizar o culto, a liturgia, a igreja, etc. Foi bom você mencionar sua denominação, pois sabemos que não é um fenômeno puramente assembleiano, mas generalizado e que ameça a Igreja de Cristo.

Volte sempre. Suas falas deixadas aqui são salutares e fazem muito bem ao debate!

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Dic.Robinson Ribeiro disse...

A Paz do Senhor Jesus meu Amado Pr. Guedes.
Meu Nome é Robinson Ribeiro, sou diacono da Igreja Assembléia de Deus Min. do Belém em Francisco Morato e atravéz de alguns irmãos cheguei ao blog do dignissímo Pr.
A minha pequena e humilde opinião sobre o assunto postado é o seguinte: A cultura é dinâmica como diria (Roque Barros de Laraia) em seu livro "Cultura um conceito antrpológico", ou seja, a cultura se modifica a cada momento e nós igreja estamos inseridos dentro dessa cultura, e para alcançarmos o foco que no entanto são as almas, precisamos acompanhar essas mudanças. Não digo que devemos mundanizar a igreja, mas precisamos de estratégias para alcançar a junventude que está no mundo. Pergunto como apresentar Jesus para alguém que vive momentos alegres no mundo, ou pelo menos acha que são momentos alegres, como chegar e expor para esse jovem que se ele não se render a Jesus, sua alma corre o risco de perder a salvação que nós crentes no Senhor almejamos tanto.
A igreja querido Pr. tem uma identidade, e essa identidade foi produzida não com a marca de um polegar, que se refere a impressão digital do indivíduo, mais foi confeccionada com sangue puro e limpo do cordeiro de Deus que morreu por nós. Essa identidade a igreja nunca irá perder, mas digo novamente para alcançarmos as almas precisamos acompanhar a cultura, ou perderemos muitos e muitos para o devorador de almas que está a solta buscando a quem possa tragar.
O que me deixa inquieto, é que quando criança tv era coisa do capeta, mas hoje o meu Pr. tem programa na televisão, agora pergunto: quantas pessoas não se desviaram da igreja, porque desobedeceram as ordens e compraram um aparelho de tv, e foram tachados de filhos do Cão, muitos até nunca mais pisaram o pé na igreja, e a salvação dessas pessoas como fica. Alguém se importa?? não!
Enquanto estamos preocupados em descutir usos e custumes, pessoas estão perdendo suas almas, e a igreja o que está fazendo.. Como diria um grande amigo meu: Um novo Lutero precisa se levantar para que a igreja volte a trilhar os caminhos de Jesus.

Querido Pr. que Deus continue abençõando a vossa vida, juntamente com a de vossa familia, segue o endereço de meu blogg: www.robinsonribeiro.blogspot.com fique a vontade para acessar e comentar. Muito obrigado por permitir essa postagem, e ore por nós para que DEUS nos capacite cada vez mais.
A Paz.

Robinson Ribeiro.

Missionária Bella Dourado disse...

Boa Noite Pastor!
Eu li este texto hoje pela manhã em outro blog. Não posso emitir opinião porque não conheço este pastor nem sua igreja (templo); porém as comparações de crente tradicional eu discordo (Para mim!) e não as aplico por que uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa.

Vigília de oração na igreja ou em casa de irmãos para mim é algo Santo, sabe consagrar um tempo ao Senhor fazemos muito aqui, e nem sempre para pedir muitas vezes oramos para agradecer pelas obras de Deus no meio de seu povo.

Balada Gospel, para mim é bem diferente pode ser gospel não gospel é festa, não a discrição e nem temor é da carne e não do espírito.

Eu oro, na igreja e em outros lugares ; "Já" papear com Deus eu uso essa expressão quando tenho algo que quero dividir com um amigo; mas não há amigo que me entenda então eu tenho o hábito de papear com Deus principalmente nas minhas atividades físicas e na praia com sombra e agua fresca.

Comprar DVD pirata, eu não gosto de comprar DVDs ,compro CDS e não tenho o hábito de aderir a pirataria mesmo que ela tenha um lado social, também tem os horrores que se escondem por trás disto.

Eu Leio a Biblia, e também leio a biblia on-line, não navego nela.

Eu vou aos cultos, com todo amor do meu coração e ouvidos bem abertos para aprender com a palavra e de preferencia fico sentaddinha lá no meio do povo (púlpito só vou se tiver algo para fazer - não tenho vocação para adorno).

Eventos gospel, sim eu gosto de alguns (que não sejam sobre prosperidade e assalto ao bolso do povo), mas isto não pode substituir o culto tradicional.

Quanto a vestimenta acho apropriado para os cultos algo que eu me sinta bem , tanto faz calça ou saia; mas discordo do meu marido quando usa gravata para atender as convençõens em lugares com pessoas que não necessitam deste adorno e muito menos Deus.

Já nesta comparação a respeito do diabo eu discordo infelizmente: O crente tradicional não gosta do diabo , mas os modernos estão "idolatrando" devido a grande parte que perdem do culto falando dele ao invez de Louvar o Santo Nome do Senhor.


Quanto ao entrar em mistérios, é complicado conheço crentes antiguíssimos passando dos 60 que entram em mistérios , tão misteriosos que acho que Deus não decifra,rs,rs.

Cair me pecado, somos humanos e todos caimos em pecado.

Trabalho??? Tem muita gente pensado que DEUS é seu empregadom na igreja e que vai sair do culto chutar pedra e achar $.

Acho presunçoso determinar minh benção porque , se estiver equivocada ela não vira será maldição. Quem me abençõa é Ele, eu pedindo ou não.

Otimista? De Boa? Sou sensata não construo castelos na areia nem no alto da montanha, prefiro a solidez no meio de uma malha de bambu.

Não oro para que eu passe em mais uma faculdade nem para que os meus passem, oro para que Deus nos tire os excessos,nos limpe para que possamos aprender e passar com mérito e não por milagres.

Oferto com prazer, amor e satisfação em ministérios sérios com pastores sérios.


Acabei... um jornal.
Olha aí uma coisa que eu preciso orar para que eu seja inteligente e não vire colunista no espaço de comentários dos blog dos outros.

Tenha uma abençoada noite!
Bella

BLOG DA MÁRCIA disse...

Nasci num lar cristão, fui apresentada na Igreja Evangélica Assembléia de Deus- Ministério do Belem. Na minha infância não podíamos ter TV em casa devido a doutrina da igreja que não permitia. Eramos em 6 irmãos e a nossa vontade o nosso sonho era ter TV em casa mas nosso pai seguia rigorosamente os costumes da igreja. Lembro me que subíamos em muros para poder assistir a TV da vizinha, tinha vezes que saiamos para casa de parentes que tinham TV ficávamos o tempo todo assistindo ao ponto de não querer ir embora mais. Pediamos apara o nosso pai comprar TV para nós mas ele dizia que eramos crente e não poderiamos ter aquele aparelho em casa. Então pastor te pergunto o que mudou, foi Deus? Hoje todo crente tem TV em casa, eu tenho TV na minha casa meu filho não precisa ir para casa do vizinho assistir. Muita coisa mudou dentro da Assembléia de Deus que fui criada, por favor o que o senhor poderia me dizer sobre isto? Deus abençõe sua vida!

LUCIANO disse...

Paz pr Guedes!

O Jaan Tammerik disse tudo!!!
e acrescento mais, está havendo uma inversão de valores, ao invêz das igrejas atingirem ao mundo, o mundo está atingindo as igrejas!

Paz amado!!!

THIAGO JESUS disse...

Paz do Senhor Pr.Guedes !

Este é um tema que gera muitas polemicas e ABUSOS,estão mundanizando as coisas com pretexto de "Modernidade",acho isso terrível me conferti no ano de 2004 e tenho conhecido a bela história da nossa assembléia e tenho visto o rumo de algumas de hoje quando não é mundanismo e politica feia e grave em convenções,fico triste pois alguns tem visto a igreja como uma grande empresa e não como a noiva do cordeiro,que é santa,imaculada e fiel.ESTÃO DEIXANDO DE PREGAR A PALAVRA COMO ELA É PARA PREAGAR A PALAVRA "LIGHT SECULO XXI"PRA AGRADA E MASSAGEAR O EGO DAS PESSOAS,SANTIFICAÇÃO,JUSTIFICAÇÃO,NESSECIDADE DE ARREPENDIMENTO DE PECADOS,tem deixado alguns pulpitos de hoje.
Sou a favor de procurar-mos as tendencias boas principalmente da tecnologia para melhor atender o povo de Deus,como:Data Show nas ebds,cultos onlines,sites,
blogs,recursos on line em aulas da ebd.Mas que tudo seja paltado pela biblia e que ela seja o nosso manual de verdadeira conduta cristã.Fico muito triste com todas estas coisas,mas graças á Deus que ele tem alguns que não dobraram os joelhos a BAAL !
Tudo tem que ser feito com moderação e procurando ser exemplo de luz e sal para esta sociedade que já esta bem ruím,que Deus nos guarde e guarde e igreja verdadeira como sei que ele tem guardado,pois muitas surpresas teremos ainda.

Deus abençoe !

Quero agrader ao amado,pela cooperação em nossa festa,que Deus continue abençoando a ti e sua Familia.

Abraços em Cristo !

THIAGO JESUS
Blog Kenósis

Pastor Guedes disse...

Prezada Irmã Márcia,

A Paz do Senhor!

A pergunta da irmã é retórica, pois já sabe a resposta. Deus não mudou porque Deus nunca muda (Ml.3.6 e Heb. 13.8) e sua imutabilidade é um atributo não-comunicável aos homens. Logo, os homens mudam e a igreja sendo formada por homens está sujeita a mudanças temporais, regionais e culturais.

Quanto à TV, eu tenho três e meus filhos assistem e eu assisto com eles. A igreja não é perfeita, está assumindo que errou no passado e hoje se utiliza do "aparelho" (que nossos pais diziam que era do diabo) para propagar o Evangelho. Nem a Tv, nem o rádio, nem a internet é do diabo, mas cada um utiliza esses instrumentos bem ou mal.

Respondendo sua pergunta: Deus não mudou, a igreja que mudou, e nesse aspecto mudou para melhor! Mas, infelizmente, há mudanças que não são para melhor senão para pior! Essa mudança vem corrigir o tempo em que os pais proibiam tudo e nada podiam os filhos fazer, mas hoje vemos o outro oposto: pessoas dizendo que não dizem mais não a seus filhos ou membros (no caso das igrejas).

Costumo dizer que quero para meus filhos uma igreja que diga não para o pecado e sim para todas as outras coisas benéficas, como Graça, Perdão, Comunhão, Liberdade...

Deus abençoe a sua vida. Foi muito bem ter seu comentário aqui.

Deus abençoe sua casa.

Pastor Guedes disse...

Caro Luciano,

A Paz do Senhor!

O comentário do Jann foi muito bom, principalmente no que diz respeito às grandes estruturas e "esmagamento" (termo meu) do indivíduo em meio à comunidade cristã. Mas, há solução: investir na comunhão e uma teologia do afeto que valorize os relacionamentos entre os membros e entre membresia e lideranças.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Pastor Guedes disse...

Caro Thiago,

A Paz do Senhor!

Você entendeu bem o propósito. A igreja pode e deve se utilizar dos meios de comunicação, da tecnologia e das arquiteturas modernas, mas sem nunca perder a essência de igreja cristã e pregar a Palavra, o Amor, a Cruz, a Graça e a Piedade (Santificação) sem a qual ninguém verá o Senhor! Quanto às práticas mundanas dentro da igreja bem disse o Luciano e o Non Nattus, logo acima, estão invertendo os valores e a igreja está sendo influenciada ao invés de influenciar o mundo.

Quanto à imitação do mundo, Tiago diz que "a amizade do mundo é inimizade contra Deus" (Tg. 4.4).

Quanto minha presença em sua linda congregação, eu que agradeço. Foi um privilégio para mim. Conte sempre comigo!

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Pastor Guedes disse...

Caro Robson Ribeiro,

A Paz do Senhor!

Eu não falei no texto de identidade da Igreja, mas identidade denominacional. Também admiti no texto e aqui nos comentários que a igreja errou no passado, mas está consertando muitos erros.

Porém, a questão não é apenas sobre usos e costumes, mas também o padrão moral, ou seja, eu não preciso imitar o mundo para ser moderno. Ser contextualizado é isso mesmo que você defendeu: acompanhar a cultura, mas sem perder a essência do Cristianismo, o Amor e a Piedade. Santificação, separação do mundo, não significa sair do mundo, mas agir conforme os valores do Reino, a ética do Reino. E quem disse que a igreja é luz do mundo e sal da terra não foi eu, foi Jesus. E quem disse que o mundo nos aborreceria, foi Ele. Um de seus discípulos (João) escreveu que "O mundo jaz no Maligno", logo os valores do mundo estão apodrecidos e a igreja pode ser moderna, mas sem imitar o mundo.

Quanto à TV respondi agora pouco no comentário da irmã Cláudia. Tenho três tvs e assisto com meus filhos e minha esposa, mas nao vemos filmes de violência, pornografia, terror, filmes nacioanis que têm muitos palavrões, etc. Como o irmão vê, sou a favor de uma contextualização equilibrada e não aquela que diz que para ganhar um jovem para Jesus preciso falar a gíria que ele fala, frequentar os ambientes que ele frequenta ou repetir os palavrões que ele fala, ou ainda, ver os filmes pornográficos e acessar os sites imorais que ele acessa ou ouvir as músicas que ele ouve.

Deus lhe abençoe.

Obrigado por sua participação. Suas palavras foram muito importantes para o debate.

Volte sempre e parabéns pelo seu blog!!!

Pastor Guedes disse...

Cara Missionária Bella Dourada,

A Paz!

Seu jornal (risos) é sempre bem vindo por aqui. Fique a vontade, a casa é sua!

Abraço no esposo, blogueiro como nós!

Deus abençoe sua casa.

Jornal da Assembléia - "A Voz do Povo de Deus" disse...

A Paz Pastor,

Esta matéria esta diretamente relacionada com o momento da igreja no Brasil hoje.
Vejamos o que a Bíblia diz de forma integral, analisemos ela segundo a nossa realidade sem perder o foco na santidade.
Não devemos tomar o profano por santo, e nem o santo por profano. A modéstia no vestir, no falar, no agir não significa ignorância, mas sim um compromisso em resplandecer o brilho de Cristo em nós, e não o contrário.
Quanto a forma de atrair jovens, adultos, crianças, etc. não mudou! Essa estratégia se chama Evangelismo através de Missões.
No livro de Atos é nítido que Deus acrescentava a cada dia pessoas, por que a igreja não cessava de divulgar o Evangelho.
O problema é que muitos "conhecem" a Cristo e outros O "seguem".

Espero ter contribuído em algo.

Continuem com Deus.

Dc. Jonathas

Pastor Guedes disse...

Caro Dc. Jonathan,

A paz do Senhor!

Agradeço por sua ilustre visita.

Meu Amigo, fique ciente que seu comentário contribuiu muito e enriqueceu ainda mais nosso debate.

Parabéns por sua clareza de ideias.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Anônimo disse...

Eu acredito piamente que Jesus Cristo vem buscar uma Igreja pura, limpa, santa. É assim que nos ensina suasoberana Palavra. Portanto, ai daqueles que tem "alargado" as portas, permitindo que as influências mundanas, carnais, sensuais, penetrem no meio dos rebanhos do Senhor.

Pastor Guedes disse...

Caro Anônimo,

A Paz!

Também creio no arrebatamento de uma Igreja santa e pura, que alcançará o Céu pela Graça e pelo Sacrifício de Cristo na cruz. Quanto à porta, a Palavra diz que: estreita é a porta e apertado o caminho que leva à vida eterna e porque é larga a porta que conduz à perdição são muitos a que encontram. Todavia, penso que a igreja deve se contextualizar, mas sem perder a essência.

Abraço.
No Amor de Cristo!

opoderdasescrituras disse...

Querido e amado Pr Guedes,a Paz do Senhor!!

Já é sabido... estou um pouco sem tempo!! Passei aqui mesmo só para saber se o Senhor Jesus já voltou?? Não diziam por aí que ele voltaria esse mês, essa semana?? Dia 21 ou 24 ou 25?? Estou até meio preocupado!!

Fique com Deus.


Pr Alex.

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Alex, meu Amigo,

Já estava com saudades de seus comentários por aqui.

Para sua tranquilidade rsrsrs o Senhor ainda não voltou, mas para sua preocupação o homem já está calculando pela terceira vez a Vinda de Nosso Senhor! Pediu perdão por ter errado das duas primeiras vezes e disse que em breve vai anunciar a data certa.

Que posso fazer se não rir? kkkk

Deus lhe abençoe.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

EDILSON disse...

É REALMENTE ESTAMOS MUDANDO, O QUE VC AJA, PARA MELHOR OU PARA PIOR? É UMA CONFUSÃO DANADA, DEUS TEM MISERICÓRDIA DE NÓS, NOS AJUDA A OLHAR PARA TI SENHOR, SÓ TU ÉS SANTO, SÓ TU SENHOR NÃO MUDA, DA NOS O VERDADEIRO ENTENDIMENTO , NÃO DEIXA OS HOMENS NOS SUFOCA-LO. DAS A VERDADEIRA LIBERDADE, DE TI ADORAR E DE TE SERVIR. SENHOR A LUTA AGÓRA É UM CONTRA O OUTRO, O NOSSO ADIVERSÁRIO É OS IRMÃOS; O QUE É ISTO, O MUNDO NÃO CRENTE ESTÃO DE OLHO, E COMO ELES VIRÃO A TI SENHOR, SE ELES VE EM NÓS ESTÁ DESUNIÃO; SENHOR EU QUERO FAZER A DIFERENÇÃO, REALMENTE SER LIVRE, EU QUERO MAIS CONHEÇER A TI. POR QUE SÓ EM TI EU TENHO PÁZ. AMOR, ALEGRIA, SOMENTE A TI É QUE ME DA VIDA, SENHO EU QUERO SERVIR COM ALEGRIA, SENHOR JESUS DAS UM CORAÇÃO SINCERO. EU TE LOUVO E TE AGRADESSO

Pastor Guedes disse...

Caro Edilson,

Agradeço sua visita.

Na minha opinião, estamos mudando para pior.

Não sei se entendi bem seu comentário, mas aqui nesse blog não tem irmão contra irmão ou igreja contra igreja. Aqui temos Bíblia X Mentiras; Sã Doutrina x Heresias; etc.

Em todo caso seja bem vindo. Você tem liberdade para expressar seu ponto de vista.

Abraço.

disse...

Sabe o que penso meu amigo, é que muitos côa-se um mosquito e engole um camelo.

Já sofri muito quando era da Bléia, mas respeitava o uso e costume. hoje sei que costume não salva ninguém. Mas o problema maior é que a igreja saiu de um extremo a outro. Sabemos que os filhos dos pastores nunca aceitariam os usos e costumes de antes, pois estudaram e viram que poderiam mudar, pois costume é passageiro, até porque muitos sofreram com isso. Os filhos de pastores sofriam pois tinham que dar o exemplo. Mas o que mais me entristece não é costumes, mas o que não podia e hoje pode. Por exemplo: ver Tv não podia, hoje todos tem Led, computador era pecado, hoje todos vivem o dia todo no Pc e no Twitter rss,não podia cortar cabelo hoje pode graças a Deus rss, hoje podemos nos cuidar mais... mas isso não é nada diante das questões morais como: o divórcio, antes não podiam se divorciar e hoje já se divorciam, não podiam vender nada na igreja, hoje tudo se vende até a graça de Deus rss, muitos viraram mercador da fé e ninguém fala nada todos aceitam, por isso acho que côa-se um mosquito e engolem um camelo. estamos vivendo o pior momento da igreja na terra e muitos estão preocupados com usos e costumes enquanto os lideres estão enriquecendo as custas das ovelhas, as ovelhas estão sem palavra, sem alimento, estão morrendo de inanição surdas, cegas e aleijadas, estão muda pois são proibidas até de falar. A Teologia relacional esta aí destruindo muitos pastores e ministérios, pessoas aceitando até casamento gay e crianças serem adotadas pelos mesmos e vejo pastores até defendendo-os achando normal. Esta na hora da igreja começar a tomar posição e começar a fazer a limpeza, isso tem que começar na nossa casa entende?? desculpa o desabafo. Mas acho que usos e costume não é nada diante do que é real mesmo e do que vem pela frente. Paz querido.

Pastor Guedes disse...

Rô,

Concordo com você que os usos e costumes não são nada comparados às questões morais. O artigo propunha isso mesmo: debater a igreja moderna, a relativização dos usos e costumes e frouxidão moral. É só ler nas letras em azul.

Quanto ao "desabafo" não precisa pedir desculpas, aqui é sua casa.

Deus lhe abençoe e obrigado pela visita e comentário.

Paz!

A Tua palavra é A Verdade ! disse...

Olá Pr. Guedes.

Sinto-me honrado pela visita ao meu humilde blog e feliz por ter o Sr. seguindo-o.

Obrigado, sempre sou edificado quando leio seus textos, parabéns!!!

Pastor Guedes disse...

Caro "Tua palavra é a Verdade"

A Paz!

Eu é que sinto-me honrado e feliz por sua amizade e companhia.

Parabéns pelo seu blog e textos.

Deus lhe abençoe.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!