terça-feira, 26 de julho de 2011

A IGREJA NAS TENDAS DE SEM (PARTE II)

Lembrando a todos que esse texto é do meu Amigo, Pastor Natanael dos Santos. Boa Leitura!

A IGREJA NAS TENDAS DE SEM
A promessa de Deus na vida de Abraão seu avô estava tendo o seu real cumprimento. Das entranhas de Jacó, nasceria José, que mais tarde, após vários períodos de duras provas, se tornaria governador do Egito.
Estando no Egito, teve o privilégio de receber seu pai e seus irmãos os quais foram colocados estrategicamente na terra de Gósen, para ali habitarem. Nesta terra se multiplicaram em grande maneira, ao ponto de se tornarem numa grande multidão.
Ali estando todos eles gozaram do favor do Faraó amigo de José. Este Faraó havendo morrido foi substituído por outro Faraó que não conhecia a José.
Este novo Faraó estando no governo oprimiu os filhos de Israel fazendo-os amargar como escravos debaixo de um jugo tirano e cruel.
Quatrocentos anos depois, cumpriu-se o que Deus havia pactuado com Abraão (ler Gn 15. 7-16). Moisés estava apascentando o rebanho do seu sogro Jetro no Monte Horebe quando Deus falou com ele de uma sarça, ordenando-o a tirar o Seu povo da escravidão.
Obedientemente Moisés se põe a executar o mandado do Senhor seu Deus, ajudado por seu irmão Arão. Sob o braço forte de Deus, Faraó permite Israel sair em direção àquela que seria a sua pátria definitiva. Estando no deserto, Deus trabalhou maravilhosamente através de Moisés a fim de fazer daquele povo uma nação.
Durante a peregrinação pelo deserto, Israel recebe diretamente de Deus a Lei que governaria o seu destino. Muitos daqueles que haviam saído do Egito, morreram no deserto por não crerem na palavra de Deus.
Quando a nova geração nascida no deserto estava na fronteira, prestes a ocupar a Terra da Promessa, Moisés morreu.
Deus então encabeça Josué como seu sucessor, para dar continuidade ao Seu plano.
À frente do povo como um valente e destemido general, depois de verem as muralhas de Jericó destruídas e após cruzarem o Jordão, ambos os episódios ocorridos de forma sobrenatural, aquele povo se estabeleceria na Terra Prometida e começaria a conquistá-la.
Havendo conquistado boa parte da terra, Josué antes de morrer lhes faz recordar tudo o que Deus fizera por eles e os convida a assumir o compromisso de servirem somente ao Senhor, tomando ele próprio como exemplo de que particularmente estaria servindo a Deus com toda a sua casa.
Vem então, o período dos Juízes quando a Bíblia diz que cada um fazia o que bem parecia aos seus olhos. O último deles foi Samuel.
Fartando-se da sua maneira de governar, pediram-lhe um rei e Deus lhes deu Saul na sua ira e depois o tirou no seu furor, estabelecendo Davi em seu lugar.
Davi fora um homem segundo o coração de Deus! Ele organizou a nação de Israel e antes de morrer passou o cetro ao seu filho Salomão.
De posse do governo, Salomão dá início à construção do Templo idealizado por seu pai e, junto com o povo de Deus após longos anos, inaugura aquela majestosa casa; lugar onde Israel poderia agora adorar tranquilamente ao Senhor sem precisar depender de estar montando e desmontando tenda aqui, ali ou acolá.
Salomão saiu-se muito bem no governo de Israel até que as mulheres lhe perveteram o coração. Após isso, seu reinado começou a entrar em decadência.
Tendo morrido, Roboão seu filho reinou em seu lugar, mas logo em seguida o reino que havia sido unificado desde os dias de Davi, seria dividido.
Jeroboão conquistou o coração de alguns e ficou com dez tribos enquanto Roboão apenas com duas. Com o reino dividido, os problemas logo começaram a surgir.
Com o passar do tempo, tanto no Sul quanto no Norte, o povo de Deus se viu governado, ora por um rei bom, ora por um rei mau.
Em consequência da desobediência, o Reino do Norte composto de dez das doze tribos de Israel foi levado em cativeiro pela Assíria e aproximadamente cem anos depois o Reino do Sul, composto das tribos restantes. O Reino do Sula seguiria também em cativeiro para a Babilônia de Nabucodonosor.
As tribos do Norte se dispersaram e até os dias de hoje não se sabe exatamente onde elas estão.
Setenta anos foi o tempo do cativeiro babilônico deflagrado contra o Reino do Sul. Após estes anos vividos no exílio, Deus levanta Zorobabel, Josué,  Esdras Neemias, Ageu e Zacarias. Através desses homens Israel é de novo estabelecido em sua terra e o Templo é reconstruído.
Porém poucos anos à frente, Israel estaria outra vez em derrocada. Neste período, Deus levantou o profeta Malaquias para advertir a nação dos erros que estavam comentendo.
Após ele, deu-se o Período Interbíblico. Neste espaço de tempo até a chegada do Messias, muitas guerras se deram entre o povo de Deus. A história Sagrada estava esperando a chegada da plenitude dos tempos.
E foi exatamente quando ela se cumpriu que o Messias tão esperado pelos judeus nasceu em Belém trazendo uma nova esperança para aquele povo.
Infelizmente eles o rejeitaram, levando-o à cruz. Jesus morreu, mas com sua morte foi selada a vitória tanto de judeus quanto dos gentios.
De ambos os povos, Deus, soberanamente, constituiu um só povo para através deste, tornar o Seu nome conhecido em toda a Terra.
A igreja que nunca fora considerada como povo, foi enxertada em Jesus Cristo a Oliveira Verdadeira e feita povo peculiar de Deus. Constituída de judeus, os descendentes de Sem e de gentios, os descendentes de Cão e Jafé, a igreja está no mundo como Geração Eleita, Sacerdócio Real, Nação Santa e Povo Adquirido, para anunciar as virtudes de Jesus.
A Igreja, constituída de famílias de todos os povos, tribos, línguas e nações, verdadeiramente está nas tendas de Sem como um povo forasteiro e peregrino, mas caminhando rumo à Cidade que tem fundamentos, cujo Artífice e Construtor é Deus!


Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

2 comentários:

MANANCIAL disse...

PAZ ,MUITO BOM O SEU BLOG .NOTA 10 JA ESTOU TE SEGUINDO ,TE CONVIDO A SEGUIR O NOSSO BLOG .http://manacialjovem.blogspot.com/

Pastor Guedes disse...

Caro Manancial,

A Paz!

Agradeço por sua bondade e por seu convite. Aceito e vou seguir seu blog também.

Abraço.