quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

SETE FATORES QUE INCOMODAM UM PASTOR.

Resultado de imagem para PASTOR E MERCENÁRIO
Recebi esse texto por email de um novo amigo, o Jan Carlos de Souza, da Igreja Batista, mas a autoria é do pastor Paulo Saraiva, cujo blog e fonte está no rodapé. Apenas tomei a liberdade de fazer algumas pequeníssimas adaptações.

SETE FATOS QUE INCOMODAM UM PASTOR

Em dias como os nossos, o que poderiam mais incomodar alguém vocacionado para o ministério? Bem, muitos são os desafios a serem encontrados, mas existem pelo menos sete que saltam aos olhos.

1.    Observar que as pessoas não amadurecem. Pastores verdadeiramente chamados não esperam que as pessoas sejam eternamente dependentes, antes pelo contrario almejam que elas cresçam e que depois de um tempo sejam capazes de enfrentar e resolver alguns conflitos mínimos nas suas vidas sem ter que viver dependentes de gurus ou pseudo-mestres da espiritualidade.

2.    Verificar que (hoje em dia) qualquer um pode ostentar o titulo de Pastor. É profundamente frustrante saber que, em dias como os nossos, qualquer um pode ser nomeado ou denominado como pastor, não importando se obteve alguma formação, se foi experimentado, tanto nas práticas ministeriais como na arena dos desafios éticos.

3.    Constatar que o ministério (para muitos) virou um negócio. É muito triste para Pastores vocacionados saberem que o espaço social onde atuam, muitos agem com o interesse puramente mercadológico. Provoca ojeriza um Pastor verdadeiro saber que ele divide espaço na sociedade com pessoas que só tem um interesse: ganhar dinheiro.

4.    Descobrir que as ovelhas vivem encantadas pelos mercenários. Nada indigna mais um Pastor do que ouvir uma ovelha manifestar sua admiração por alguém que prega um falso evangelho, por dinheiro, por exemplo. É frustrante saber que via de regra, com algumas exceções alguns dos mais elogiados ministros dos nossos dias são conhecidos nos bastidores eclesiásticos por suas patifarias.

5.    Vislumbrar que manipulação vale mais que ensino. O dia mais triste na vida de um pastor é aquele em que ele descobre que não basta manusear bem uma Bíblia, mas que precisa dominar também as técnicas de manipulação de auditório.

6.    Deparar-se com o fato de que estruturas valem mais que cuidado. É muito desestimulante quando um Pastor, de maneira inexorável, se convence que os cuidados já foram de maneira sistemática negligenciados em favor da estrutura da instituição

7.    Enxergar o que é patente ultimamente: carisma vale mais que caráter. Compromisso, ética, postura, fidelidade, dedicação, acessibilidade, nenhum desses elementos importam para uma comunidade que tem como preocupação última, seguir alguém que tenha carisma, não importando quão duvidoso é o seu caráter.

Então por que permanecer Pastor em um ambiente como este? A justificativa para continuar nesta empreitada saiu dos lábios do Todo-Poderoso quando adverte aos mercenários e promete constituir bons pastores. ELE diz:
“…Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e delas não cuidastes; mas eu cuidarei em vos castigar a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. Eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; serão fecundas e se multiplicarão. Levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e elas jamais temerão, nem se espantarão; nem uma delas faltará, diz o SENHOR….” Jeremias 23.1-4

Se os mercenários se autoconstituíram para estarem a frente do rebanho, o mesmo não se pode falar a respeito dos fiéis Pastores, estes não estão por sua vontade, antes foram escolhidos pelo Sumo-Pastor. Afinal é ELE mesmo que diz:
“…Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda….” João 15.16
http://paulo-saraiva.blogspot.com/2011/04/sete-fatos-que-incomodam-um-pastor.html

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

4 comentários:

Anselmo Melo disse...

Graça e paz meu querido amigo. Que texto pertinente e atual. Infelizmente são fatores frustantes e que levam vários colegas até mesmo a abandonarem o ministério pastoral. Só muita graça de Deus e certeza do nosso chamado para continuarmos.
Aproveito para desejar um ano novo de muitas vitórias para o irmão e sua linda família.

Pastor Guedes disse...

Caro Anselmo, a Paz!

Saudades do Amigo.

Agradeço por visitar esse espaço (que também é seu) e deixar seu comentário. Sim, de fato muitos chegam a abandonar o ministério, mas muitos outros adentram, "cuidando que a piedade é fonte de lucro" (I Tm. 6.5).

Obrigado e FELIZ ANO NOVO para o Amado e toda a sua casa.

Abraço.

Evandro Silveira disse...

Paz seja convosco Pastor, seu blog é uma bênção. Quando outros pastores ficam convidando os membros da sua igreja para irem congregar em outra igreja ainda que da mesma denominação isso irrita o você?

Pastor Guedes disse...

Caro Evandro Silveira, a Paz do Senhor!

Obrigado por seu comentário gentil e incentivador.

Sim, esse tipo de comportamento antiético dos pastores é deprimente e trata-se de uma atitude deplorável e antibíblica. Infeizmente, está cheio de gente fazendo isso hoje. Inclusive usando a mídia e as redes sociais.

Abraço, Amado.

Que Deus lhe abençoe.