quinta-feira, 7 de abril de 2011

A CARTA DO INFERNO

Carta atribuída ao assassino e suicida Wellington Menezes Rio, 07.04.2011
Amados, estamos todos de luto pela tragédia que abalou a cidade do Rio de Janeiro nesta manhã. O que mais me preocupa é o desfecho desse triste episódio com o assassinato de onze crianças inocentes e saber que esse crime foi fruto do absurdo fanatismo religioso. A carta acima, supostamente deixada pelo assassino, aponta para um crime de fundo religioso, de alguém que nunca compreendeu o Evangelho de Jesus e que nunca teve um encontro com Deus. Em  entrevista à Rede Bandeirantes, a irmã mais velha do adotivo Wellington, disse que sua mãe era seguidora da intransigente seita As Testemunha de Jeová e embora tenha sido ventilado na imprensa que o agora morto fosse fundamentalista islâmico, o conteúdo da carta (se for verdadeira) revela um sentimento cristão (e islâmico?) fanático de alguém que segundo se apurou era introvertido, morava só, não tinha amigos, não saía de casa e nem da internet.

Escrita ou não por Wellington, essa carta revela a insanidade de uma mente religiosa confusa que se deixa levar pelo fanatismo e pelas imposições do aspecto mais terrível das religiões: o  fundamentalismo intolerante em nome da pureza exclusivista para a salvação. Esse lado tenebroso da religião é o oposto do amor pregado por Jesus e fomenta o ódio entre os homens. Ricardo Gondim Rodrigues disse acertadamente certa vez que a religião, ao contrário do verdadeiro cristianismo, adestra e não transforma vidas. Isso, digo eu, dá-se por conta de religiosos verem Deus como alguém que só lhe dará os céus se os tais executarem ao pé da letra o que suas lideranças doentias ordenam (e não a Palavra) ou o que se lhes impõem distorcidamente como condicionamento para canalização da "bênção". 

Estamos vivendo dias difíceis e precisamos comunicar ao mundo o Deus bondoso em nossas igrejas e afastar de uma vez por todas de nossos púlpitos a ideia medieval de um Deus intolerante, vingativo, terrivelmente obcecado pela santificação extrema de seu povo e desejoso de abençoar somente um pequeno e insignificante número de escolhidos (eleitos). Não estou negando que Deus seja santo e deseje a santidade de seus filhos, mas apelando para o Evangelho que apresenta a Graça como ela é: superabundante, maravilhosa, flexível, abrangente e assumidamente amorosa ao contrário de incutir na mente de pessoas no mundo inteiro que Deus está irado e quer explodir o planeta a qualquer momento. A ira divina ainda está para se manifestar na Grande Tribulação e seus juízos no Apocalipse, mas as religiões e os religiosos fanáticos desprovidos de amor, têm antecipado esses eventos escatológicos para nossa realidade presente. A escatologia, mesmo a do apocalipse bíblico, precisa ser vista como um sinal de esperança para o povo de Deus através da iminente vinda do Senhor Jesus e para o mundo através da instauração do milenio, reino de justiça e paz!

Tenho dois filhos pequenos e não gostaria de vê-los alvejados por balas enquanto estão na sala de aula. Que Deus tenha misericórdia dos pais enlutados e console suas vidas. Que Deus tenha misericórdia de nós!

Ps. Não descarto a possibilidade de terrorismo religioso como aventado no comentário da minha amiga Rô.

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.


16 comentários:

disse...

Pois é, mas isso esta na cara que foi terrorismo Pr. Guedes, se a irmã disse que ele se envolvia com o Islamismo , esta mais do que claro que foi um ato de terrorismo, só que vão dizer que foi ato religioso dos Cristãos o senhor vai ver. Espere só e aguarde!

Pastor Guedes disse...

Rô,

A Paz!

Não descarto essa possibilidade, mas seja como for, o terrorismo também tem raízes na intolerância religiosa!

Agradeço por visitar e deixar seu importante comentário.

Deus abençoe sua casa.

Anselmo Melo disse...

Não acredito em qualquer das hipóteses,mas concordo que certamente vão surgir especulações de todos os lados.Um individuo com transtorno psicótico não precisa de motivação religiosa para praticar atos como os visto no RJ.Existem na verdade milhões de pessoas espalhadas mundo afora que sofrem desse mal.Felizmente a maioria é inofensiva, incapaz de atitudes como as vistas nesse rapaz.É "normal" que coisas sobrenaturais, ligadas a Deus e a religião exerça sobre a mente do psicótico maior pressão.No entanto em muitos casos nada tem a ver com fundamentalismo.

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Anselmo,

A paz do Senhor!

Já estava com saudades de seus comentários.

Amigo, quando escrevi fundamentalismo, referi-me ao fundamentalismo intolerante e fanático, e não ao que chamamos, comumente em teologia, de crença em fundamentos da doutrina. Aliás foi isso que levou Mehmeth Ali Agca a atirar no papa João Paulo II e um fanático (de fã) a matar seu ídolo John Lennon. A história está repleta de mortes e genocídios (como no caso do Pr. Jim Jones - 918 mortes) em nome de um fanatismo religioso.

Concordo que um indivíduo com transtorno psicótico não precisa de motivação religiosa, mas quis dizer que há religiões e líderes que desencadeiam (disparam o gatilho) e leva muitos a se tornarem psicóticos e isso em nome de um fundamentalismo intolerante e fanático.

Penso que há muitos elementos que levaram esse moço a praticar o crime: entre eles não descarto a religião tal qual descrita acima.

Forte Abraço.

Nair Morbeck Sobrinha disse...

que Deus console e fortaleça as famílias...

shalom

Pastor Guedes disse...

Prezada Nair,

A Paz!

Essa tem sido a nossa oração....

Deus lhe abençoe.

Anselmo Melo disse...

Também tenho notado sua falta la no "A Pedra", apareça.Eu entendi meu irmão e concordo.Penso que somente a soma te todos esses ingredientes podem levar uma pessoa a cometer tamanha barbaridade.
Paz, e um grande abraço também.

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Anselmo,

Precisamos nos reconectar...

Em breve estarei visitando e deixando uma mensagem lá. Afinal, meu blog é apenas um blog, mas A Pedra é o Blog.

Paz!

Ezequias Lourenço disse...

A paz do Senhor, querido pastor.

Esse ocorrido, faz-nos refletir muito sobre o assunto religião.

Ultimamente tenho pregado muito contra o sistema religioso em geral, que infelizmente tem tido sua bandeira arvorada por muitos cristãos. (talvez seja necessário reler a carta de Paulo aos Colossensses).

A religião é uma tentativa frutrada do homem em busca de Deus.

Ela é a causa de guerras, dissenssões e até assassinatos.

Tornemo-nos a Deus e amemos o próximo! Não nos calemos diante da verdade. Busquemos um equilíbrio cristão com base numa fé genuína e não fundamentalista para que não cometamos crimes tais, se não concretos como esse, subjetivos como tantos que vemos em nome da religião: humilhações, sufocamentos, rejeições, pré-julgamentos, consternações... tudo isso movido, muita das vezes por complexo de ultrasantidade.

Não esqueçamos de pregar o Evangelho da graça.

Desculpe-me o teor: esse assunto indignou toda a nação e o mundo, eu diria.


Obrigado por sua visita e comentário em meu blog.


Abraços, querido pastor.

Pastor Guedes disse...

Caro Ezequias,

Visitar o seu blog foi bênção para mim.

Gostei do que você escreveu sobre ter equilíbrio e não cometermos crimes "tais, se não concretos como esse, subjetivos como tantos que vemos em nome da religião: humilhações, sufocamentos, rejeições, pré-julgamentos, consternações... tudo isso movido, muita das vezes por complexo de ultrasantidade".

Deus lhe abençoe.

Forte Abraço.

Eduardo Medeiros disse...

guedes, concordo plenamente com você:

"...e afastar de uma vez por todas de nossos púlpitos a ideia medieval de um Deus intolerante, vingativo, terrivelmente obcecado pela santificação extrema de seu povo e desejoso de abençoar somente um pequeno e insignificante número de escolhidos (eleitos)"

essa teologia do deus irado com o homem só pode mesmo debandar para o fanatismo quando pessoas desequilibradas tomam para si ajudarem deus em sua ira.

o menos importante agora é ficar especulando se foi fanatismo islãmico ou cristão; toda religião pode instigar o fanatismo em mentes doentias.

o fanatismo religioso como um todo é que deve ser combatido por todos nós.

aliás, deveríamos trocar o termo "fundamentalismo" por "fanatismo".

abraços.

Pastor Guedes disse...

Caro Eduardo,

O que mais posso dizer: Aleluia, aleluia, aleluia!. Você disse isso mesmo: "Guedes, concordo plenamente com você"? Nunca pensei que ouviria (ou leria) isso um dia rsrs

Brincadeiras à parte, concordamos enfim, em uma questão crucial: o amor de Deus pelo fim das intransigências religiosas.

Deus lhe abençoe com Seu Amor!

Forte Abraço.

Anselmo Melo disse...

Agradeço suas palavras de apresso,recebo-as humildemente sabendo que é a bondade de seu coração que encherga meu blog assim.
Paz!

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Anselmo,

A Paz do Senhor!

Nossa amizade está acima de qualquer ironia. Tenho verdadeiro apreço por sua pessoa e blog.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Ev. Anderson Ferreira disse...

Nesses meus poucos 26 anos de vida(incompletos) nunca imaginei que veria um fato tão "demoníaco" como esse.Todas as vezes que vejo algo referente ao fato nos noticiários me vem um misto de Tristeza e revolta.Isso tudo nos mostra quanto o ser humano sem Deus é cruel...Tristezas a parte, isso nos mostra o quanto devemos louvar a Deus por aquilo que a Teologia(especialmente a Teologia Reformada) chama de Graça Comum: Deus, por sua Misericórdia não nos permite sermos tão maus como o pecado nos poderia tornar, ainda que alguns, como Faraó e esse Wellington, por causa de suas respectivas obstinações, terem os seus corações "endurecidos", sendo entregues aos desejos malignos de seus corações.Oremos para que Deus conforte as famílias enlutadas, salve os que ainda não são salvos, e que nos faça uma vez por todas comprender que servir verdadeiramente a Jesus é algo bem maior que seguirmos a uma Religião.A "Religião"( ou seria Religiosidade?) "mata"...Jesus dá vida abundante.

Pastor Guedes disse...

Caro Ev. Anderson,

A Paz do Senhor!

De fato a doutrina da Graça Comum é uma das coisas mais belas do Calvinismo e da doutrina cristã. Há ainda uma extensão desse ensino que mostra os talentos que Deus concedeu às suas criaturas na arte, na literatura, na música, na estética, etc.

Fico feliz em ver que a percepção da graça comum por conta do povo de Deus.

Deus lhe abençoe.

Forte Abraço.