sexta-feira, 5 de novembro de 2010

ANGELOLOGIA: NATUREZA E CARÁTER DOS ANJOS

Anjo esculpido em pedra, segurando um relógio de sol. Catedral de Charthes, França.

Dando continuidade ao estudo sobre angelologia, vamos postar hoje artigo falando sobre a natureza dos anjos do ponto de vista bíblico:

Os anjos e sua natureza

a) Seres Criados (Sl. 33.6; 148.2,5; Ne. 9.6)
- Foi Deus quem criou os anjos (Cl. 1.16)
- Antes da criação do mundo (Jó. 38. 6,7)
- Sendo eles criaturas, recusam adoração (Ap. 19.10; 22.8,9).
- Ao homem é proibido adorá-los (Cl. 2.18). Adoração somente à Trindade.
- Os anjos eleitos são santos (Ap. 14.10; Mt. 25.31; At 10.22).

b) Seres Pessoais (Sl. 103.20,21)
- Os anjos possuem intelecto.
- Os anjos possuem sentimento.
- Os anjos são capazes de tomar decisões.

c) Seres Morais (Ef. 2.20)
- Uma vez que a Bíblia nos informa sobre anjos que pecaram, somos informados também que se trata de criaturas dotadas de capacidade moral.

d) Seres Espirituais (Hb. 1.13,14)
- Têm poder de assumir a forma de corpos humanos, a fim de tornar visível a sua presença (Gn 19. 1-3).
- Não há obstáculos físicos (paredes, portas, etc.) para sua locomoção.

e) Seres Imortais (Lc. 20.34-36).
- Temos na passagem acima, que os anjos jamais morrem.
- Em Hb 2.9, lemos que o Senhor Jesus foi feito pouco menor que os anjos “... por causa da paixão da morte”.

f) Seres Assexuados (Mt. 22.30).
- Não possuem sexo, não se casam nem se procriam segundo a sua espécie (Lc 20.34-36).
- Não se distinguem em macho ou fêmea como os homens, porque na criação dos anjos, Deus não tencionava que eles procriassem.
- Não obstante sejam assexuados, os anjos são apresentados na Bíblia com perfil varonil, isto é, de varão, semelhante a um homem.

g) Seres Numerosos (Ap. 5.11; Mt. 26.53; Lc. 2.13e14).
- A Bíblia declara que são “milhares de milhares” - “multidões dos exércitos celestiais”, “muitos milhares de anjos” (Dn. 7.10; Ap. 5.11; Hb. 12.22).
- São incontáveis na ótica humana, assim como as estrelas no céu, mas Deus os conhece cada um por seu nome (Ex. Gabriel e Miguel).
- Sua quantidade não muda nunca, porque não procriam e não morrem. Deus os criou de uma vez, pelo poder de sua palavra, “... pois mandou e logo foram criados” (Sl. 148.2-5).

h) Seres velozes (Dn. 9.21).
               - Mas não são onipresentes. Temos razões para crermos que os anjos se locomovem a uma velocidade superior à velocidade da luz,  ou seja,  300.000 km/s (Mt. 26.53).

i) Seres Poderosos (II Pe. 2.11; Sl. 103.20).
- Descem em meio ao fogo e não se queimam (Jz. 13.19,20).
- Um só anjo matou 185.000 soldados (Is. 37.35;  II Rs. 19.35).
- Um só anjo destruiu Sodoma e Gomorra (Gn. 19).
- Um só anjo removeu a pedra do sepulcro de Jesus. (Mt. 28.2)
- Todavia seus poderes são limitados por Deus. (II Sm. 24.16;  Ap. 18.21)
- São “magníficos em poder” (Sl. 103.20).
- Mais poderosos que os homens (II Pe. 2.11).

j) Seres Gloriosos (Lc. 9.26).
              - Os anjos são seres dotados de dignidade e glória sobre-humanos. Lemos em Ap. 18.1 de um anjo “que tinha grande poder e a terra foi iluminada com sua glória”.

l) Seres Inteligentes (II Sm. 14.17).
- Mas a sabedoria dos anjos é finita, somente Deus tem a onisciência.
- Os anjos não podem com sua sabedoria discernir nossos pensamentos (I Rs. 8.39).
- Só Cristo pode (Lc 6.6-8) - e a Palavra tem esse poder (Hb. 4.12).
- Os anjos não sabem o dia da volta de Jesus (Mt. 24.36), mas estão ansiosos, pois eles acompanham a Cristo no dia da sua volta para o arrebatamento (Mt. 16.27; Mc. 8.38; I Ts. 4.16).

Os anjos e seu caráter

a) Obedientes (Sl. 103.20).
- Os anjos cumprem suas obrigações com total obediência a Deus.

b) Reverentes (Ne. 9.6).
              - Em Is. 6.2 os serafins cobriam os olhos para não olharem a face de Deus.

c) Sábios (II Sm. 14.17).
              - Mas não são oniscientes e não conseguem penetrar na mente humana.  

d) Mansos (II Pe. 2.11;  Jd. 9).
- Os anjos não se contaminam com ressentimentos pessoais.

e) A Bíblia os descreve como “santos anjos” (Ap. 14.10).
              - Todavia, não são santos como é o Senhor, trata-se de santificação adquirida pela fidelidade durante o tempo da provação. Os anjos foram aperfeiçoados em santidade. Deus não, Ele é Santo por natureza.


Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoa a todos.

9 comentários:

disse...

Pr. temos entrevista com o Pastor Alan lá no blog, dê uma força lá, pois o senhor será o próximo com certeza!

Pastor Guedes disse...

Rô,

Irei sim.

A Paz!

Alan Capriles disse...

Amado pastor,

Acabo de responder a sua pergunta, lá no blog da Rô.

Agradeço muito pela participação. Seu blog é excelente, já o estou seguindo. Em breve comentarei alguns artigos.

Um forte abraço!

Deus abençoe cada dia mais sua vida e ministério!

Pastor Guedes disse...

Prezado Pr. Alan,

A Paz!

Que alegria ter o amado aqui e ainda seguindo o meu humilde blog. Tenho certeza que trocaremos muitas ideias teologizantes.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Anônimo disse...

sempre ouvi dizer que os Anjos não tinha sentimentos,para não quererem ser maior do que Deus, e vendo essas coisas e olhando na biblia não achei " específicando " isso . Poderia me ajudar ?

Anônimo disse...

Dizem que os Anjos não tem sentimentos, e que foi uma escolha deles não terem, para não acontecer a mesma coisa que aconteceu com Satanás , Tire-me essa dúvida .. a paz do Senhor !

Pastor Guedes disse...

Caro Anônimo, a Paz.

Obrigado por visitar meu blog.

Sim, os anjos têm sentimentos, pois são pessoas, seres pessoais. O que identifica uma pessoa são as faculdades: intelecto, emoção e vontade. A diferença é que seus sentimentos são equilibrados, posto que foram elevados à categoria de perfeição. Isto é, por se mostrarem fiéis a Deus, o Senhor os aperfeiçoou. Não devemos pensar nos anjos eleitos como pessoas ora deprimidas, ora eufóricos, mas com suas emoções estabilizadas em perfeito equilíbrio.

Abraço.

valzinha disse...

Se os anjos foram criados em perfeito equilíbrio,explique como e de onde veio o sentimento de inveja de Lucifer

Pastor Guedes disse...

Prezada irmã Valzinha, a Paz do Senhor.

Assim como Adão e Eva, Deus criou os anjos perfeitos, e o mal ou o sentimento de orgulho de Lúcifer, veio de seu próprio coração, posto que tinha liberdade para escolher permanecer com Deus ou não. A esse pecado a teologia chama de originação, isto é, pecado teve origem no coração de Satanás, que, segundo o Senhor Jesus, "peca desde o princípio".

Abraço.