quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Deus, o Tempo e a Igreja

"Mas, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e que mil anos, como um dia" (II Pedro 3.8).

A discussão sobre o fato de Deus estar ou não sujeito ao tempo tem causado grande alvoroço nos arraiais evangélicos ultimamente. Alguns "doutores" formados em academias humanistas, que imaginam-se teólogos, têm trazido à baila um assunto por demais definido no "canon" protestante-teológico-ortodoxo há séculos.

A Bíblia mostra claramente que Deus é Eterno e que Ele criou o tempo para os filhos dos homens (Gn.1.14 e Ec.3.1-10). Eternidade no exato sentido da palavra cabe somente à Divindade. Conceitos de eternidade do homem são imperfeitos e incompletos. Podemos dizer que Deus "colocou a eternidade no coração do homem" (Ec. 3.11), mas nenhuma criatura pode receber e perceber a eternidade como Deus.

Há no grego três expressões que nos ajudam a compreender melhor o significado de nosso vocábulo tempo:

Aionios - Tempo que não pode ser medido (Sl. 90.2; Sl.41.13) .
Kronos - Tempo que pode ser medido (Gn. 1.14; Ec. 3.1-11).
Kairós - Tempo de oportunidade (Mc.1.15; Gl.4.4).

Paul Thillic, em sua Teologia Sistemática, apresentou kairós como tempo de crise e tempo de decisão. Kairós seria a intervenção de Aionios em Kronos. É quando Deus abre uma porta em época de crise para intervir na história em favor de seu plano salvífico e por seu povo. É tempo de decisão!

Deus é eterno e, portanto, atemporal. Ele é o Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, inclusive do tempo. Todavia, Ele não está sujeito ao tempo e não sofre influência dele, nem vive dentro de uma expectativa humana. Para vergonha dos defensores do teísmo aberto, Deus conhece o futuro, sabe o fim das coisas e da história desde o começo e não há nada no passado, presente e futuro que Ele não saiba.

A Igreja pode ilustrar nossa percepção desse argumento. Em algum tempo na eternidade, Deus planejou criar a Igreja. Prometeu sua criação nos profetas e a ilustrou na congregação do deserto. Quando o Verbo encarnou tornou possível sua existência e anunciou sua criação: "Edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela". Fundou-a na Cruz e o Espírito Santo a inaugurou historicamente no dia de Pentecostes em Jerusalém, em kronos, igreja militante. O Espírito deu subsídios para sua manutenção enquanto Corpo de Cristo.

Poderíamos citar o Imperador Nero, o filósofo Voltaire, o beatle Jonh Lenon e muitos outros que tentaram impedir a marcha do Cristianismo e da Igreja ou duvidaram de sua capacidade de resistência histórica (para não usar kronos outra vez). Todos eles passaram, a igreja não e ao contrário das predições, a igreja invisível continua forte.

Quando Deus planejou a Igreja na eternidade (Ap.13.8) Ele já sabia de sua trajetória e triunfo: "as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt.16.18). Sobreviveu às perseguições do império romano, ao papismo, à noite de São Bartolomeu, ao stalinismo, à política de Mao Tse Tung, ao comunismo soviético e ao castrismo; resistiu ao gnosticismo, ao ebionismo, ao arianismo, ao pelagianismo, entre outros e hoje resiste frente à mais recente heresia dos tempos modernos: a abertura do teísmo.

Breve os céus se abrirão e novo kairós se dará. Tempos de crise se anunciam e o aionios invadirá o kronos para levar a igreja invisível, resistente, militante, para a eternidade, o tempo de de Deus: Igreja Triunfante.

Deus abençoe a todos!

Maranata. Ora vem Senhor Jesus!

3 comentários:

Anônimo disse...

A Paz do Sr. Pastor Guedes.

Continuo acompanhando os seus posts, o interessante é que sempre tem um melhor que o outro.

Com relação a este post achei interessante a explicação do "Tempo de Deus".

Em determinado momento é citado o filosofo Voltaire que foi uma das figuras do iluminismo (conhecido também como "O Zombador"),quero apenas deixar algumas frases que ja havia pesquisado de grandes nomes da história na hora de suas mortes:
VOLTAIRE, o famoso zombador, teve um fim terrível. Sua enfermeira disse: “Por todo o dinheiro da Europa, não quero mais ver um incrédulo morrer!” Durante toda a noite ele gritou por perdão.
DAVID HUME, o ateu, gritou: “Estou nas chamas!” Seu desespero foi uma cena terrível.
CESARE BORGIA, um estadista: “Tomei providências para tudo no decorrer de minha vida, somente não para a morte e agora tenho que morrer completamente despreparado.
HOBBES, um filósofo inglês: “Estou diante de um terrível salto nas trevas.”

Penso em como é terrivel morrer a morte de um pecador e sem CRISTO.

Que Deus continue lhe abençoando.

José Claudemir

torto disse...

A Paz do Sr. Pastor Guedes.

Continuo acompanhando os seus posts, o interessante é que sempre tem um melhor que o outro.

Com relação a este post achei interessante a explicação do "Tempo de Deus".

Em determinado momento é citado o filosofo Voltaire que foi uma das figuras do iluminismo (conhecido também como "O Zombador"),quero apenas deixar algumas frases que ja havia pesquisado de grandes nomes da história na hora de suas mortes:
VOLTAIRE, o famoso zombador, teve um fim terrível. Sua enfermeira disse: “Por todo o dinheiro da Europa, não quero mais ver um incrédulo morrer!” Durante toda a noite ele gritou por perdão.
DAVID HUME, o ateu, gritou: “Estou nas chamas!” Seu desespero foi uma cena terrível.
CESARE BORGIA, um estadista: “Tomei providências para tudo no decorrer de minha vida, somente não para a morte e agora tenho que morrer completamente despreparado.
HOBBES, um filósofo inglês: “Estou diante de um terrível salto nas trevas.”

Penso em como é terrivel morrer a morte de um pecador e sem CRISTO.

Que Deus continue lhe abençoando.

José Claudemir

pastor guedes disse...

Prezado Claudemir,

Agradeço por sua "fidelidade" em relação ao blog e por seu comentário enriquecedor.

Você é sempre bem vindo com seus comentários.

Abraço fraterno.