quarta-feira, 3 de setembro de 2014

O PREGADOR ENTRE O PICADEIRO E O ALTAR

"Respeitável Público: Com vocês... ooo PREGADOOOORR!!"

(LEIAM ESSE ARTIGO DO MEU AMIGO PR. JESIEL FEITAS. VALE A PENA!!!).

É quase isto! Anuncia-se o pregador e então aparece atrás do púlpito alguém vestido num terno colorido, sapatos multicores, gravata linguiça ou gravata multicores com pedrarias a gosto, calças apertadas (cores a gosto - vermelho, verde, azul, roxo, preto, branco, amarelo), e outros adereços esquisitos. Outro dia, um deles apareceu com gravata, lenço e echarpe amarelos... Nitidamente estava preparado para um desfile na passarela, mas jamais para o púlpito! Um amado amigo meu, pregador renomado, disse há pouco tempo enquanto ministrava: "boa parte dos pregadores de hoje não está vestindo-se para vir ao culto apresentar-se a DEUS, mas para as mulheres que frequentam os cultos!" Logo pensei: "bem, a maioria deles ou entende bem pouco ou nada de ética, ou bem pouco ou nada de mulheres". Que DEUS perdoe-me o divertimento imaginário neste aspecto, mas, seria cômico se não fosse trágico! Deve o pregador vestir-se sobriamente, como é digno do púlpito. Não entendam-me mal, por favor, mas tenho inquietante irritação quando vejo coisas assim, e olhem que não tenho visto poucas. Já são vários anos viajando e ministrando em todo tipo de eventos por esse país e tenho sentido-me muitas vezes constrangido com algumas aberrações e situações ridículas com as quais deparo-me!

Tem mais: além do visual chocante, hilário ou deprimente, alguns também pecam gravemente na comunicação. Na débil tentativa de impressionar o público com uma linguagem mais rebuscada ou erudita, alguns lançam mão de termos desconhecidos, palavras não coloquiais e expressões esquisitas. Impostam suas vozes profundamente numa terrível manobra para chamarem atenção do público. Por outro lado, há os que exibem péssimo português. Outros, cumprimentam os obreiros ao chegarem no ambiente, com uma falsa e exibicionista reverência, inclinando-se à frente quase como o fazem os japoneses em sua característica cultura. Perdoem-me, mas não resisti. Senti-me impulsionado a escrever sobre isto. Gostaria mesmo que os companheiros e irmãos pregadores compreendessem isto de forma educativa, instrutiva, conselheira, como uma crítica positiva. Penso que o posso fazer como pastor e pregador do evangelho, embora consciente de minha pequenez, de minhas limitações e de minha disposição em SERVIR ao SENHOR.

Outra coisa estranha são as acrobacias ensaiadas por alguns que movimentam-se desenfreadamente, agitam os braços freneticamente, gritam excessivamente o tempo todo, saem correndo no meio da igreja e coisas do tipo. Conheço alguns que ocupam o tempo no altar contando anedotas e fazendo o povo rir, em alguns casos, inclusive, com linguajares e histórias que não caem bem no ambiente espiritual e especialmente no púlpito da Casa de DEUS! Não que o bom humor não seja bem-vindo, e gosto de ouvir pregadores alegres, mas faça-se tudo com ordem e decência. Igreja não é circo, altar não é picadeiro e pregador não é palhaço; com todo respeito aos profissionais do ramo! Fico realmente estarrecido com estes comportamentos e creio que boa parte dos meus caros leitores sinta o mesmo! Claro que há aqueles pregadores que ocupam o outro extremo: postam-se rigidamente atrás do púlpito, não movem-se um centímetro sequer e discursam como se estivessem engessados, numa falsa ética e numa postura forçada, que foge ao natural e claramente o público percebe que aquela não é a real personalidade do pregador. Penso que o pregador deve agir naturalmente, óbvio que com aquela reverência necessária e característica ao púlpito, ao altar, à igreja, mas nunca mecânica ou roboticamente. Nem tampouco sem saudáveis limites que são inerentes ao bom senso.

Definitivamente, precisamos rever os conceitos. Especialmente os novos pregadores devem cuidar-se para não caírem nesses modismos e nessas esquisitices do nosso tempo. A igreja é lugar santo, o púlpito é sagrado e o altar dispensa comentários! Mais espiritualidade e menos espetáculos, mais GRAÇA e menos gracejos, mais unção e menos frases e gestos de efeitos forjados. O povo precisa ouvir a mensagem genuína do evangelho, ministrada por pregadores autênticos e comprometidos única e exclusivamente em fazer aparecer JESUS ao invés deles! O centro da mensagem é sempre CRISTO e nunca o pregador; a personalidade do culto é o SALVADOR e não o mensageiro e a pregação é um grito revelador em direção aos pecadores e não um espetáculo para promover o pregador. A igreja é uma comunidade de salvos adoradores, e não um circo de expectadores desejosos de espetáculos centrados no homem! Definitivamente, não confundamos ALTAR com PICADEIRO!

Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

4 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Guedes,

Paz amado!

Excelente matéria que entrará por um ouvido e sairá pelo outro dos muitos que convivem com a PALHA ASSADA em suas pregações e momentos de distração no púlpito.

Não conhecem ao Senhor e a sua Santidade. Desconhecem o mal que estão causando aos crentes que necessitam de um alimento que alimente, de fato, as suas vidas com o que é espiritual.

Desculpe informar que o evento conhecido como gideões de Camboriú, também faz parte desta vergonhosa armadilha na distribuição de heresias e dos púlpitos consagrados aos futuros candidatos à política e aos enormes cachés. Triste!

O que passa com a igreja e seus líderes que, com dificuldades, conseguiram através de ofertas, programas na televisão brasileira, com a afirmação de que seria para o evangelismo em massa, e o transformaram em programas de interesse político e de interesses puramente humanos?

Bem este é outro assunto....

Um grande abraço ao amigo e companheiro pastor Jesiel Freitas.

O Senhor seja contigo,nobre pastor,

O menor

Pastor Jesiel Freitas disse...

Grato, meu nobre amigo Pr.Guedes, por publicar o artigo. Que o SENHOR te abençoe e te guarde sempre. No que puder, estou aqui para contribuir. Aliás, seu blog tem sido uma bênção para milhares de vidas.

Abraços e Paz.

No amor de CRISTO:

Pr. Jesiel Freitas

Pr. Jesiel Freitas disse...

Caro e nobre companheiro, Pr. Newton Carpintero:

Fico feliz que tenha gostado da matéria. Espero que alguns a retenham e apliquem-na em suas vidas e ministérios. DEUS o abençoe grandemente!

Abraços e Paz.

No amor de CRISTO...

Pr. Jesiel Freitas

saulo888 disse...

Muito triste tudo isso que vimos em nossas igrejas, eu e minha familia ja voltamos de alguns cultos feito por alguns verdadeiros palhaços, muito triste e chorando, de ver as pessoas amanda essas palhaçadas, pessoas essas que não vão a Escola dominical, e que não tem nem um conhecimento biblico,por isso curte esses pastores palhaços.Eu e minha familia resolvemos, que quando tiver algum pregador palhaço em nossa igreja,íremos levantar e voltar para casa, pq não somos obrigado assistir espetaculos na igreja. Um abraço