sexta-feira, 18 de outubro de 2013

HISTORIADOR DIZ QUE JESUS NÃO EXISTIU E QUE O CRISTIANISMO TEM SIDO UMA CATÁSTROFE


Defensor de uma teoria de que a História de Jesus foi um produto do Império Romano para pacificar as revoltas do povo judeu, o teólogo americano, de origem budista, afirma que Jesus nunca existiu e que o cristianismo tem errado em todos os eventos da história.
Ora, depois de tantos eventos históricos, geográficos comprovados nos evangelhos e depois de tantos achados arqueológicos que confirmam a historicidade não somente de Jesus, mas de Pedro, Paulo, João, Tiago, entre outros, vem um "teólogo" (de origem budista) negar a existência de Jesus de Nazaré. Além do que, suas críticas contra o cristianismo encontram interesses que vão além da venda de livros pelo mundo, mas uma desvelada intenção de desacreditar o cristianismo, inclusive, dizendo que as pessoas não devem ter medo de viver em um mundo sem o Cristianismo. Ou seja, "abandonem o Cristianismo e seus valores, pois eles não valem e nunca valeram nada do ponto de vista moral". É mais um absurdo de nossos últimos dias. 
Às vésperas de sua palestra Covert Messiah em Londres neste sábado, o pesquisador americano Joseph Atwill foi muito além de suas recentes afirmações de que a figura de Jesus Cristo é uma completa fabricação da aristocracia romana. Em entrevista exclusiva ao Terra, Atwill, 64 anos, disse que o cristianismo foi inventado durante o Império Romano para controlar as massas e, até hoje, só causou danos à sociedade.
"Acho que o cristianismo tem sido uma catástrofe. Se você olhar na história, ele criou a Idade das Trevas, as Cruzadas foram uma desgraça absoluta e a Inquisição também foi uma abominação moral. Se você observar o século 20, as nações cristãs massacraram umas às outras, com mais de 120 milhões de pessoas morrendo em guerras. Acredito que as pessoas não deveriam ter medo de um mundo sem cristianismo fazendo o papel de uma força moral maior, porque observando eventos anteriores, o cristianismo não foi bem sucedido no passado", disse.​
Apesar de tocar em um assunto polêmico como religião, Joseph Atwill ainda revelou que não se intimida com as críticas ao seu trabalho. "O que fiz foi colocar dois livros, A Guerra Judaica, de Flávio Josefo, escrito no século I, e o Novo Testamento, lado a lado e tracei paralelos entre eles. Essa análise pode ser feita por qualquer pessoa com senso comum. As evidências falam por si só. Ao comparar os textos, cada indivíduo pode tirar suas próprias conclusões", acrescentou Joseph, que explica essa série de coincidências em seu livro Caesar’s Messiah (O Messias de César, em tradução livre). 
Praticante de budismo, Joseph Atwill acrescentou que não acredita nem desacredita em Deus e que seu intuito é fazer com que as pessoas tenham suas experiências baseadas na verdade.
“Não sou ateu. Eu simplesmente estou tentando encontrar a verdade. Estou aberto à questão de Deus e procurando uma resposta. Uma das razões pelas quais quero saber a verdade sobre o Novo Testamento é o fato de que é uma pergunta que tenho curiosidade para saber a resposta, assim como todo mundo. Não tenho boas respostas, não sou um líder espiritual, só tento meu melhor”.

7 comentários:

José Eymard Jacintho disse...

SE O CRISTIANISMO NÃO FOSSE VERDADEIRO JÁ TERIA ACABADO, O QUE PROVA A VERACIDADE É QUE CRISTO ESTÁ VIVO, SENDO ELE MESMO QUE SUSTENTA A IGREJA SUA NOIVA.O HSISTORIADOR DEVE PESQUISAR MAIS ENTÃO SE CONVERTERÁ .
JOSE EYMARD

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Guedes, faltou ao historiador acertar sua versão com os judeus!?

Mensagens Abençoadoras disse...

Olá Pastor!
Estive ausente dos blogs por um tempo mas estou voltando aos poucos.
É...o que n falta ´são pessoas que se levamtam para negar a existência de jesus,mas creio que elas no fundo teem medo porque na verdade sabem o poder transformador que tem a palavra de Deus, mas oremos por elas.Abraço.
Paz
Marly

Bella Dourado disse...

Paz Pr.Guedes!
Sinceramente pouco me importa no que ele acredita ou não, isto é entre ele e DEUS.
Eu creio na Salvação, eu creio num DEUS de amor, eu creio num DEUS de milagres, eu creio num Deus que "bate" longos papos comigo nos lugares mais improváveis. Portanto nada acrescento a ele porque o meu objetivo é estar na Graça de DEUS - E entre eu e ELE.
Paz. Deus vos abençoe

Di disse...

O coitado desse homem, aindda nao provou da agua e da comida do Senhor Jesus.

Di disse...

Coitado desse homem, nao conheceu da agua e da comida que so o Senhor Jesus da.

Ivani Medina disse...

A religião nunca deveria ter-se utilizado indevidamente da história. A diferenças das suas naturezas um dia iriam se chocar. É o que está a acontecer e vai piorar muito.

“A verdade histórica é a mais ideológica de todas as verdades científicas [...]Os termos de subjetivo e de objetivo já não significam nada de preciso desde o triunfo da consciência aberta [...]. A verdade histórica não é uma verdade subjetiva, mas sim uma verdade ideológica, ligada a um conhecimento partidário”. (ARON cit. por Marrou, s/ data, p. 269)

Se a fé nunca dependeu da história, porque fazem tanta questão desta última? Por que insistem em preservar essa bruma que envolve os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.

http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver