quarta-feira, 6 de abril de 2016

FRENTE PARLAMENTAR EVANGÉLICA CONFIRMA APOIO AO IMPEACHMENT DE DILMA

BRASÍLIA — O presidente da Frente Parlamentar Evangélica da Câmara, o deputado tucano João Campos (MG), anunciou, nesta quarta-feira, a posição da frente favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Segundo Campos, a bancada evangélica possui hoje 92 integrantes, incluindo a deputada Benedita da Silva (PT-RJ), e sua imensa maioria deverá seguir a orientação de votar a favor do impeachment. Campos afirmou que a decisão foi tomada em reunião realizada na tarde desta quarta-feira, com a participação de 70 deputados, alguns virtualmente.
Em nota lida em coletiva no Salão verde da Câmara, Campos afirma que a decisão foi tomada em razão da "grave crise econômica, moral, ética e política que atravessa o país" e dos "recentes escândalos de corrupção praticados pelo governo e crimes de responsabilidade praticados por Dilma que constituem uma afronta ao povo e ao estado democrático de direito". A nota diz ainda que o processo de impeachment está amparado pelo caminho constitucional e é necessário para que o país "restabeleça a esperança, a confiança, a unidade nacional e retomada do crescimento."
— A nota traduz o sentimento não só da bancada evangélica, mas dos segmentos evangélicos — disse Campos.
Presente no ato, ao lado de Campos, o deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), disse que os deputados evangélicos irão procurar as lideranças evangélicas de deputados que estão indecisos para explicar o porquê do impeachment e a importância de sua aprovação:
— A Frente Parlamentar Evangélica tomou a decisão para defender o povo mais humilde, que perdeu empregos. É uma decisão em prol dos mais pobres. Iremos visitar os pastores, lideranças evangélicas, para mostrar a importância do impeachment para recuperarmos a nação.
João Campos afirmou que não é uma posição religiosa ou partidária.
— Essa posição não é uma posição partidária, sequer religiosa. É uma posição em favor da nação. O país não pode continuar como está — disse Campos.
Um grupo de cerca de 10 deputados evangélicos estavam ao lado de Campos para a leitura da nota, entre eles Marco Feliciano (PSC-SP) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ).
Segundo o deputado Ronaldo Nogueira (PTB-RS), 80% dos deputados da bancada devem votar a favor do impeachment de Dilma.
Fonte: Extra e Point Rhema

4 comentários:

Alberto Couto Filho disse...

Amigão
Paz

...está chegando a hora - o dia raiando e a Dilma, o PT e, se Deus quiser, o Lula, ESTÃO INDO EMBORA, para o bem da nossa Patria Amada, EXAGERADAMENTE, gentil.
em Cristo,

Márcia Bergo disse...

A bancada evangélica deveria defender a verdade, a justiça e a moral, isso sim. Grande parte dos apoiadores do impeachement não tem moral pra julgar e condenar a Dilma, já que estão envolvidos em vários crimes e listas de corrupção. Acho que os culpados devem ser punidos, independente do partido ou posição religiosa, mas claramente a bancada está defendendo interesses próprios, parceiros criminosos e querendo impor aos fiéis pobres a ideia de que o governo atual os fez ficar desempregados. Para, né? Vamos todos lutar por justiça e não por um impeachment claramente golpista fruto da arrogância e ganancia de alguns que não sabem lidar com a democracia. Mas, de todo jeito, quem está no comando é Deus e só Ele poderá julgar quem é culpado ou não. E pra Ele nada passa despercebido. A justiça da terra é falha, mas a de Deus é certa.

Evandro Silveira disse...

Dizer que um processo democratico constitucional é golpe é uma mentira descarada.

Kleber Reis disse...

Bom dia. Quero comentar sim. Sou a favor da retirada de Dilma. Também a favor que os nobres deputados "evangélicos" fizessem justiça, ex: diminuição de seus salários, término das férias no meio do ano, redução de privilégios, fim de corrupção. Querem minha admiração? Façam isso.