terça-feira, 22 de janeiro de 2013

RESOLVIDO O CASO DA PASTORA INSCRITA NA CGADB


Pastora na CGADB?

Reproduzo aqui o post do amigo Judson Canto do Blog O BALIDO, que acompanhou a resolução do  misterioso caso da "pastora" inscrita para a AGO da CGADB que realizar-se-á em Brasília-DF, anteriormente aqui publicado, e já nos trouxe "mastigada" a resolução, conforme matéria que reverbero abaixo:
"O pastor Carlos Roberto Silva, ao consultar os nomes dos pastores inscritos para a 41.ª AGO da CGADB, encontrou o nome de uma mulher entre os milhares de varões e publicou no blog Point Rhema uma imagem da lista em que constava o nome da “pastora”:
Pastora da CGADBHoje o pastor Geremias do Couto publicou uma nova listagem de ministros inscritos para aquela convenção. Curioso, fui verificar se o nome a misteriosa ministra ainda estava lá e constatei que havia sumido. Note que entre “Francis Rogerio Brito” e “Francisco Aderaldo de Almeida”, na página 8, consta outro nome, por certo uma atualização:
Sem pastora 1E a pessoa registrada com o número 67945? Bem, aparece mais adiante, na página 11 da nova lista (o terceiro na figura abaixo), com o nome corrigido para Francisco Campos de Oliveira:
Sem pastora 2
Portanto, mistério resolvido. Como já se pensava, foi um erro de digitação. E já tinha gente implicando com a Ceaddif…"
Nossa  gratidão ao amigo Judson Canto por acompanhar o caso e postar a solução, enfim, quanto a questão da função de "pastora" junto à CGADB, "tudo como dantes no quartel de abrantes"

2 comentários:

Mona disse...

Querido Pastor Guedes, a paz do Senhor. Em primeiro lugar obrigada por segui o meu blog (Ramona Qk) e em segundo gostaria de te fazer uma pergunta: Seria tão errado uma irmã ser pastora? Será que Jesus Cristo condenaria isso? Tenho por certo que hoje muitas mulheres cheias de Deus se sairiam muito melhor do que muitos pastores que EU tenho visto e convivido. E vale ressaltar que muitos ainda têm seus ministérios de pé pela oração e perseverança de suas esposas.
Se em nossa sociedade atual Deus quisesse usar uma Débora como usou no velho testamento para ocupar o lugar de Baraque e liderar o povo como seria? Teríamos, com certeza, líderes religiosos em nosso meio que impediriam. Tenho por certo que nossa CGADB já deveria ter respaldo quanto a isso.
Mas infelizmente nem tudo é bem assim, neste caso muitos pastores iriam querer nomear suas esposas como pastoras, não estou dizendo disso. Estou dizendo de chamada, de ter dons ministeriais. Espero que tenha me entendido. É isso que eu penso.
Creio que nós temos muitas mulheres capazes de governar, não estou querendo contrariar a Bíblia, como mulher eu sei dos meus papéis frente ao meu esposo, estou falando de governos ministeriais.
Fique com Deus querido pastor.
Deus te abençoe sempre.

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Guedes,

A paz amado!

É do conhecimento de todos que, a instituição AD, tem providênciado cargos para mulheres que provocam os requisitos bíblicos e colocam a "culpa" em RAQUEL com suas ovelhas(animais), para amemdrontarem seus maridos ou líderes "abestados".

Sinto tristeza, pela profunda tristeza, sentida pelo estudioso pastor Antonio Gilberto.

Onde iremos parar com uma liderança tão frouxa ao utilizar todos os meios seculares do cabide político?

Triste!

O Senhor seja contigo,

O menor.