sexta-feira, 29 de junho de 2012

CENSO APONTA CRESCIMENTO DE EVANGÉLICOS PROPORCIONAL À DIMINUIÇÃO DE CATÓLICOS.


População evangélica passa de 15,4% para 22,2% em 10 anos e alcança 42,3 milhões de fiéis em 2010 

Hanrrikson de Andrade. Do UOL, no Rio



 Dados do Censo Demográfico 2010, divulgados nesta sexta-feira (29), mostram que a população evangélica no Brasil passou de 15,4% da população brasileira para 22,2%, o que dá um crescimento de 6,8 pontos percentuais nos últimos dez anos, e atualmente representa 42,3 milhões de pessoas --sendo esta a segunda religião com o maior número de adeptos.

 
e no país
.
maior


A pesquisa também indica aumento da população espírita, que hoje é  de 3,8 milhões, e das pessoas que se declararam sem religião (aproximadamente 15 milhões)Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o aumento no número de evangélicos é proporcional ao crescente declínio da religião católica, que perdeu 9,4% de fiéis em relação ao Censo de 1991. Ainda assim, o catolicismo é predominante no país: são mais de 123 milhões de pessoas (64,6% da população brasileira; até 2000 eram 73,6%). O Brasil é considerado o maior país do mundo em números de católicos nominais. 

Até o início da década de 90, os evangélicos representavam apenas 9% do contingente populacional, dos quais a maioria de origem pentecostal. Com a expansão das igrejas evangélicas pelo país e a veiculação de programas religiosos nas emissoras de televisão, tal índice subiu 44,16%.
A maior concentração de evangélicos foi registrada em Rondônia (33,8%), e a menor no Piauí (9,7%). A pesquisa mostra ainda que 60% são de origem pentecostal, 18,5%, evangélicos de missão e 21,8 %, evangélicos não determinados. Os religiosos consideram que o Brasil possui a maior concentração mundial de evangélicos de origem pentecostal.

RELIGIÃO NO BRASIL

  • 123 milhões

    de católicos

  • 42,3 milhões

    de evangélicos

  • 15 milhões

    sem religião

  • 3,8 milhões

    de espíritas

  • 407 mil

    umbandistas

  • 167 mil

    adeptos do candomblé

    Já em relação aos evangélicos em geral --o que inclui o protestantismo--, o primeiro lugar do ranking é ocupado pelos Estados Unidos, onde mais da metade da população é adepta da religião (mais de 155 milhões de pessoas). 

    Espíritas e pessoas sem religião

    Os espíritas, por sua vez, que passaram de 1,3% da população, em 2000, para 2%, em 2010 --um aumento de cerca de 1,5 milhão de pessoas. O  aumento mais expressivo foi observado na região Sudeste, cuja proporção passou de 2% para 3,1% nos últimos dez anos.
    Segundo os dados do IBGE, o Rio de Janeiro é o Estado com o maior índice de pessoas que se declararam espíritas, com 4%, seguido de São Paulo (3,3%), Minas Gerais (2,1%) e Espírito Santo (1%).
    O Censo 2010 também registrou aumento entre a população que se declarou sem religião. Em 2000 eram quase 12,5 milhões (7,3%), ultrapassando os 15 milhões em 2010 (8,0%). Os adeptos da umbanda (407 mil) e do candomblé (167 mil) mantiveram-se em 0,3% em 2010.

    Declínio do catolicismo

    Embora o perfil religioso da população brasileira mantenha, em 2010, a histórica maioria católica, esta religião vem perdendo adeptos desde o primeiro Censo, realizado em 1872.
    Em aproximadamente um século, a proporção de católicos na população brasileira variou 7,9 pontos percentuais, reduzindo de 99,7%, em 1872, para 91,8% em 1970. Desde então, os dados censitários do IBGE mostram que a religião passa por uma fase de declínio: nos últimos dez anos, os católicos passaram de 73,6% para 64,6%.
    Esta redução no percentual de católicos ocorreu em todas as regiões, mantendo-se mais elevada no Nordeste (de 79,9% para 72,2% entre 2000 e 2010) e no Sul (de 77,4% para 70,1%). A maior redução ocorreu no Norte, de 71,3% para 60,6%, ao passo que os evangélicos, nessa região, aumentaram sua representatividade de 19,8% para 28,5%.
    O menor percentual de católicos foi encontrado no Estado do Rio de Janeiro: 45,8% em 2010. O maior percentual pertence ao Piauí, com 85,1%.

    6 comentários:

    Matheus Fernandes disse...

    Caro Pr. Guedes,
    A Paz de Cristo!

    É impossível receber a Jesus apenas como salvador.Se O recebemos, temos que fazer isso de forma integral.Recebê-lo como SENHOR e SALVADOR.
    Infelizmente,a Igreja Evangélica Brasileira cresce em quantidade, mas decresce assustadoramente em qualidade.Muitos são os que se dizem evangélicos, mas são verdadeiros analfabetos em Bíblia.Enquanto outros, estão em uma determinada Igreja ,pois nela foram feitas promessas de sucesso e prosperidade financeira.Enfim, muitos "evangélicos" ainda não experimentaram o novo nascimento, e por isso são apenas crentes nominais.Lamentavelmente,já estamos passando por um fenômeno até então observado apenas na ICAR,onde muitos se dizem católicos não praticantes.Hoje existem muitos crentes não praticantes,e consequentemente ,não salvos.Oremos para que um genuíno avivamento venha varrer nosso país, para que de fato, a Igreja Evangélica brasileira venha crescer de forma sadia.Voltemos ao Evangelho PURO e SIMPLES ! Deus o Abençoe Abundantemente !
    Soli Deo Gloria.

    Pastor Guedes disse...

    Caro Matheus,

    A Paz!

    Agradeço por sua visita e comentário.

    De fato o nominalismo aumenta e o analfabetismo idem. São verdade que não podemos negar. Minha preocupação também é essa: a igreja está crescendo ou inchando? Crescer é mesmo aumentar o número de membros? Crescer tem a ver com fé, compromisso, conteúdo?

    Forte Abraço.
    No Amor de Cristo!

    Junior Melo disse...

    Boa noite CAro PAstor Guedes,

    Direto do IBGE ,nova pesquisa aponta "NUMERO DE CATÓLICOS É O MENOR EM 1 DÉCADA;


    DIreto da Biblia Sagrada,que há seculos prediz. registro de uma derrota definitiva e irrecuperavel na maior religiao do Brail"


    " E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. Apocalipse 14:8¨

    PErdoe-me aos leitores e perdoe-me Senhor Deus, se arrisquei-me a sondar as escrituras num ponto aida obscuro e controverso sobre algo escatologico mas sempre atual de cujo crente jamais pode se escusar ,embora de dificil interpretação de um livro que fala da epopéia do povo cristao diante da derrota fantastica d a "mae das prostituiçoes '

    Pastor Guedes disse...

    Caro Júnior Melo,

    A Paz!

    Sem dúvida que essa passagem fala da queda de uma igreja apóstata, uma religião que prosperou com o sangue dos justos e com todo o tipo de comércio, inclusive de almas. Está no futuro breve...Assim como está escrito, assim há de acontecer.

    Forte Abraço.
    No Amor de Cristo!

    George Gonsalves disse...

    Paz e graça, Pr. Guedes. O crescimento dos evangélicos trouxe boas coisas ao Brasil, mas temo que não na mesma proporção. Problemas como corrupção, divórcio, facções, desrespeito ao meio ambiente, dentre outros, não parecem ter sofrido queda expressiva nestes anos. Precisamos pregar e viver o evangelho em sua íntegra para que crescimento seja sinônimo de avivamento. Um abraço.

    Pastor Guedes disse...

    Caro George,

    Graça e Paz!

    Agradeço por sua participação.

    Infelizmente sua análise é correta e o evangelho que cresce no Brasil é o da prosperidade, não tendo impacto social...

    Forte Abraço.
    No Amor de Cristo!