domingo, 23 de outubro de 2011

DIA DAS BRUXAS NAS IGREJAS E A REFORMA PROTESTANTE

Muita gente não sabe, mas o Dia das Bruxas, o Samhain ou Halloween, Ano Novo céltico (31 de outubro), tem uma conexão com o Dia de Todos os Santos da Igreja Católica Romana. Este era originalmente celebrado em maio, e não no primeiro dia de novembro.

No ano 608, o imperador romano Focas apaziguou o populacho dos territórios pagãos recentemente conquistados, permitindo-lhe combinar o antigo ritual de Samhain com o Dia de Todos os Santos. E, assim, o panteão de Roma, templo edificado para a adoração de uma multiplicidade de deuses, foi transformado em igreja.


Foram os imigrantes europeus, especialmente os irlandeses, que introduziram o Halloween nos Estados Unidos. Hoje, o Dia das Bruxas
 é muito importante para os lojistas, inclusive no Brasil. Salém, em Massachusetts (Estados Unidos), é a sede da bruxaria norte-americana. Ali celebra-se, na época do Halloween, o Festival da Assombração, para expandir a temporada turística de verão. Tudo parece uma grande brincadeira, mas — conscientemente ou não — os participantes dessa festa estão se envolvendo com o ocultismo e o satanismo.

Por outro lado, algumas denominações evangélicas, além de realizarem festas similares às juninas (o que já é um absurdo), estão promovendo também, no fim de outubro, uma espécie de Halloween, decorando o ambiente com abóboras, etc. Elas alteram o nome da brincadeira satânica para Jesusween ou Elohin! Aos pastores destas igrejas quero apresentar um motivo melhor para festejar.


Em vez de comemorarem o Dia das Bruxas, os pastores que se prezam deveriam se lembrar da Reforma Protestante. Na manhã de 31 de outubro de 1517, véspera do Dia de Todos os Santos, Martinho Lutero — sacerdote romanista, professor de teologia e filho de um minerador bem-sucedido — começou a questionar de modo mais contundente a Igreja Católica e a atacar a autoridade do papa.

Lutero, então, afixou na porta da Catedral de Wittenberg (pronuncia-se vitemberk) um pergaminho que continha 95 declarações. Estas, conhecidas como teses, eram quase todas relacionadas com a venda de indulgências (pacotes caros pagos pelo perdão, inclusive das pessoas que já haviam partido para a eternidade).


Em junho de 1520, Lutero foi excomungado por uma bula — decreto do papa que continha o seu selo oficial. Em dezembro do mesmo ano, com ousadia, ele queimou esse documento em reunião pública, à porta de Wittenberg, diante de uma assembleia de professores, estudantes e o povo. No ano seguinte, foi intimado a comparecer ante as autoridades romanistas, em Worms. E declarou: “Irei, ainda que me cerquem tantos demônios quantas são as telhas dos telhados”.


No dia 17 de abril de 1521, Lutero apresentou-se à Dieta do Concílio Supremo, presidida pelo imperador Carlos V. Para escapar da morte, teria de se retratar. Mas ele não faria isso, a menos que fosse desaprovado pelas próprias Escrituras. E asseverou perante todos: “Aqui estou. Não posso fazer outra coisa. Que Deus me ajude. Amém”.

Considerado herege, ao regressar à sua cidade Lutero foi cercado e levado por soldados ao castelo de Wartzburg, na Turíngia, onde ficaria “guardado”. Ali, ele traduziu o Novo Testamento para o alemão, obra que, por si só, o teria imortalizado. Ao regressar a Wittenberg, reassumiu a direção do movimento a favor da Igreja Reformada, e a partir daí os princípios da Reforma Protestante se espalharam por toda a Europa, com ajuda de homens de valor, como Ulrico Zuínglio, João Calvino, Jacques Lefevre, João Tyndale, Tomás Cranmer, João Knox, etc.


Assim como muitos teólogos estão fazendo hoje, os católicos romanos haviam substituído a autoridade da Bíblia pela autoridade da igreja. Eles ensinavam que a igreja era infalível e que a autoridade da Bíblia procedia da tradição. Os reformadores afirmavam que as Escrituras eram a sua regra de fé, de prática e de viver, e que não se devia aceitar nenhuma doutrina que não fosse ensinada por elas. A Reforma devolveu ao povo a Bíblia que se havia perdido, passando a considerá-la a fonte primária de autoridade.


Nesses tempos difíceis, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos cristãos sérios estão dispostos a protestar contra as heresias verificados entre nós (2 Pe 2.1; At 20.28), à semelhança de Lutero?

Vi no Blog do meu Amigo Pr. Ciro Sanches Zibordi



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

FALSAS PROFECIAS ATRAPALHAM O CRESCIMENTO DO EVANGELHO



Por Elben M. Lenz Cezar

O americano Robert Fitzpatrick, de 60 anos, gastou 140 mil dólares para espalhar a notícia de um tremendo terremoto que atingiria o planeta todo no dia 21 de maio deste ano. Ele acreditou piamente na profecia de outro americano, chamado Harold Camping, fundador e diretor da Family Radio, com sede em Oakland, na Califórnia. Como centenas de outras, essa profecia não se cumpriu.

Aqui no Brasil, o porta-voz do Movimento Salvar Almas, formado por leigos católicos moradores do Estado de Santa Catarina, garante que o fim dos tempos acontecerá no dia 21 de dezembro do próximo ano.

Essas profecias só servem para ridicularizar e desacreditar o Cristianismo. Além do mais, elas conseguem exatamente o oposto. Em vez de aguardar com segurança as promessas bíblicas que dizem respeito à escatologia (doutrina das últimas coisas), o povo zomba dessas coisas. Os falsos profetas e seus sectários são indesculpáveis, pois Jesus deixou bem claro que não nos compete saber “os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade” (Atos 1.7). Ninguém tem o direito de invadir a privacidade do Todo-Poderoso e ninguém tem acesso à sua agenda. O próprio Jesus, em outro momento, declarou enfaticamente: “Quanto ao dia e à hora [dos acontecimentos escatológicos] ninguém sabe” (Marcos 13.32).

O grande erro do tal americano que jogou fora 140 mil dólares (o equivalente a 245 mil reais) para anunciar o juízo final não foi essa providência em si, mas a imprudência de aceitar como absolutamente certa a profecia de Harold Camping.

Eu, de minha parte, continuo crendo, continuo pregando e continuo a alimentar a esperança da plenitude da salvação. Essa plenitude diz respeito às coisas mais desejáveis pelo ser humano: a ressurreição de todos os mortos, a morte da morte, o juízo final e os novos céus e a nova terra. E o que vai dar início a essa esperança é a própria parusia (numa linguagem mais sofisticada) ou o segundo advento de Cristo (numa linguagem mais simples). Eu acredito piamente, tranquilamente, alegremente, que Jesus “aparecerá segunda vez” (Hebreus 9.28), “com poder e grande glória” (Mateus 24.30), e que “todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram e que todos os povos da terra se lamentarão [de tristeza] por causa dele” (Apocalipse 1.7).

Se Robert Fitzpatrick tiver outros 140 mil dólares e quiser me ajudar a espalhar a plenitude da salvação, eu faria uma edição especial da revista Ultimato só sobre o assunto com uma tiragem de 268 mil exemplares, todavia sem mencionar qualquer data!
Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

VOCE CONHECE SÃO SÉRGIO E SÃO BACO? OS PADROEIROS DOS GAYS GANHARAM UM ORATÓRIO NA IGREJA ANGLICANA


Igreja Anglicana consagra oratório para os santos padroeiros dos homossexuais



A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil realizou um culto neste domingo, 9, para consagrar um pequeno oratório para às imagens de São Sérgio e São Baco, santos padroeiros dos homossexuais. O evento aconteceu na igreja de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e reuniu cerca de 20 pessoas.
São Sérgio e São Baco eram militares e viviam em união estável quando se converteram ao cristianismo no século III, até que foram denunciados e perseguidos pelo Imperador Maximiano, que mandou torturá-los e condená-los à morte. Por esse motivo eles são considerados mártires pela Igreja Anglicana que este ano apoiou a Parada da Diversidade Homo afetiva e com um cartaz que dizia “Deus não discrimina ninguém”.
“A igreja precisa difundir o direito de rezar sem ser discriminado. Não somos só uma igreja de gays, mas uma família. Não julgamos ninguém e acolhemos a todos”, declara o reverendo Carlos Eduardo Calvani, líder da igreja Anglicana para o site G1.
Fonte: Gospel Prime

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

MENINO DE 8 ANOS, ADOTADO POR LÉSBICAS, INICIA TRATAMENTO PARA MUDANÇA DE SEXO

Publicada em Vírgula
UOL

Com direito a tratamento à base de hormônios, o menino Thomas Lobel, da Califórnia, está mudando de sexo e vem causando polêmica. Ele, que tem 11 anos e é filho de um casal de lésbicas, iniciou o processo aos 8 anos de idade.

As mães do menino, que agora se chama Tammy, defendem a decisão do garoto, alegando que era melhor iniciar o processo de mudança de sexo já na infância, pois na puberdade tudo seria mais complicado e, nesse período, o número de suicidas com transtorno de identidade é muito maior.

Segundo Pauline Moreno e Debra Lobel, uma das primeiras coisas que Tammy aprendeu a falar foi “Sou uma menina”. Outro fator decisivo para o incentivo das mães foi o fato de aos 7 anos ele ameaçou mutilar o próprio órgão sexual. Foi aí que o transtorno de gêneros foi diagnosticado e no ano seguinte iniciaram a medicação - implantada em seu braço esquerdo e que impedirá o desenvolvimento de ombros largos, voz grave e pelos faciais no menino.

Segundo informações do Daily Mail, o tratamento hormonal permitirá à Tammy ter tempo de decidir se é isso mesmo o que quer. Caso decida parar de tomar a medicação, será possível passar pela puberdade como um garoto normalmente, sem, inclusive, afetar a sua fertilidade. Mas ao resolver se tornar uma mulher definitivamente, os remédios ajudarão no desenvolvimento de características físicas femininas, como o crescimento de seios.

A cidade de Berkeley, onde Tammy vive, é uma das quatro nos Estados Unidos (Boston, Seatle e Los Angeles são as outras) onde há um hospital com programas para crianças transexuais. Lá elas são assistidas por profissionais de saúde mental, endocrinologistas e pediatras especializados. 

Fonte: Genizah

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.