sexta-feira, 27 de maio de 2011

POR QUE AS IGREJAS ESTÃO ORDENANDO PASTORES GAYS EM TODO O MUNDO?


Duas denominações presbiterianas acabam de decidir no plenário de suas Assembléias Gerais que homossexuais praticantes podem ser pastores nas igrejas delas. A primeira foi a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América (PCUSA). E ontem, foi a vez da Igreja Presbiteriana da Escócia. 


Estas resoluções foram tomadas depois de muitos anos de conflitos internos e discussões teológicas. E em ambas as igrejas, o voto passou com uma maioria apertada. Os pastores, presbíteros, diáconos e membros destas denominações que discordam da decisão, e que por muito tempo lutaram para que ela não fosse aprovada, enfrentam agora o dilema de saber qual é a coisa correta a fazer. Com certeza, muitos sairão para outras denominações ou para formar novas igrejas; outros, ainda, permanecerão na esperança de que um dia as coisas mudem.

A pergunta que não quer calar é como igrejas de origem reformada, que um dia aceitaram as confissões de fé históricas e adotaram os lemas da Reforma, especialmente o Sola Scriptura, chegaram a este ponto? Em minha opinião, o que está acontecendo hoje é o resultado lógico e final da conjunção de três fatores: a teologia liberal que foi aceita por estas igrejas, a conseqüente rejeição da autoridade infalível da Bíblia e a adoção dos rumos da sociedade moderna como norma.


O processo pelo qual estas denominações passaram, uma na Europa e outra nos Estados Unidos, é similar. As etapas vencidas são as mesmas. Primeiro, em algum momento de sua história, em meados dos séculos XIX, o método crítico de interpretação da Bíblia passou a ser o método dominante nos seminários e universidades teológicas destas denominações. Boa parte dos pastores formados nestas instituições saíram delas convencidos que a Bíblia contém erros de toda sorte e que reflete, em tudo, o vezo cultural de sua época. Para eles, os relatos bíblicos dos milagres são um reflexo da fé dos judeus e dos primeiros cristãos expresso em linguagem mitológica e lendária.


Segundo, uma vez que a Bíblia não poderia ser mais considerada como o referencial absoluto em matérias de fé e prática, devido ao seu condicionamento às culturas orientais antigas e patriarcais, estas denominações aos poucos foram adotando as mudanças culturais e a direção da sociedade moderna como referência para suas práticas. 


Terceiro, com a erosão da autoridade bíblica e o estabelecimento da cultura moderna como referencial, não tardou para que estas igrejas rejeitassem o ensinamento bíblico de que somente homens cristãos qualificados deveriam exercer a liderança nas igrejas e passaram a ordenar mulheres como pastoras e presbíteras. As passagens bíblicas que impõem restrições ao exercício da autoridade por parte da mulher nas igrejas foram consideradas como sendo a visão patriarcal dos autores bíblicos, e que não cabia mais na sociedade moderna.

O passo seguinte foi usar o mesmo argumento quanto ao homossexualismo: as passagens bíblicas que tratam as relações homossexuais como desvio do padrão de Deus e, portanto, pecado, foram igualmente rejeitadas como sendo fruto do pensamento retrógrado, machista e preconceituoso dos autores da Bíblia, seguindo a tendência das culturas em que viviam. A igreja cristã moderna, de acordo com este pensamento, vive num novo tempo, onde o homossexualismo é comum e aceito pelas sociedades, inclusive com a aprovação do Estado para a união homossexual e benefícios decorrentes dela.

E o resultado não poderia ser outro. O único obstáculo para que uma igreja que se diz cristã aceite o homossexualismo como uma prática normal é o conceito de que a Bíblia é a Palavra de Deus, inerrante e infalível única regra de fé e prática para o povo de Deus. Uma vez que esta barreira foi derrubada - e a marreta usada para isto sempre é o método crítico e o liberalismo teológico - não há realmente mais limites que sejam defensáveis. Pois mesmo os argumentos não teológicos, como a não procriação em uniões homossexuais e a anormalidade anatômica e fisiológica da sodomia, acabam se mostrando ineficazes diante do relativismo da cultura moderna. E as igrejas que abandonaram a autoridade infalível da Palavra de Deus acabam capitulando aos argumentos culturais.


Nem todos os que adotam o método crítico são favoráveis ao homossexualismo. E nem todos liberais são a favor da homossexualidade. Mas espero que as decisões destas duas igrejas, que têm em comum a adoção deste método e a aceitação do liberalismo teológico, sirvam como reflexão para os que se sentem encantados com o apelo ao academicismo e intelectualismo da hermenêutica e da teologia liberais.

Postado por Augusto Nicodemus


Fonte: Jan Carlos de Souza

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

14 comentários:

Fabio Rodrigues disse...

Paz do Senhor Pastor Guedes!

O que dizer? É muito preocupante!
A partir do momento que colocam a bíblia, que é nossa bússola, em segundo plano, os caminhos a serem seguidos podem ser quaisquer um. O problema é, para onde estes caminhos os levarão?
Que Deus tenha misericórdia!

Um abraço!

Pastor Guedes disse...

Caro Fábio,

A Paz do Senhor!

Desde que os liberais abandonaram a Palavra e a "contextualizaram" com os padrões das ciências sociais, as igrejas estão mais descrentes e o mundo mais influente nas denominações.

Precisamos reafirmar nosso compromisso com o Sola Scriptura e com a inerrância e infalibilidade da Bíblia, a Palavra de Deus.

Agradeço por sua visita ilustre e comentário.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Isac Sena Alves disse...

O Pr. Edney Melo, da Igreja Betesda do bairro Montese em Fortaleza, pediu desligamento da igreja afirmando, por meio de seu blog, que:

Ter discordado da orientação de aconselhar casais homossexuais com se fossem casais Héteros “No entanto, ano passado, em conversa com um dos principais pastores da Betesda, eu o ouvi falar de uma reflexão que estava sendo feita sobre a questão homossexual, que, deveria ser considerada pela igreja, normal. Inclusive, disse ele estar disposto a aconselhar casais homossexuais em sua comunidade, como se foram héteros, com a restrição de não serem promíscuos.”

E por não aceitar o fato da liderança da Betesda ter questionado as doutrinas da ressurreição e da volta de cristo “A partir daí, passei a ter uma série de conversas com a liderança cearense da Betesda, com quem questionei esses e outros pressupostos, contidos no consciente coletivo da igreja, como a volta de Jesus, a ressurreição e outras questões que considero irrefutáveis.”

O pastor a firma também que as questões sobre homossexualismo surgiram muito antes da entrevista do Pr. Gondim à revista carta capital.

Veja o texto na integra: http://edney.wordpress.com/2011/05/18/minha-ultima-mensagem-para-a-betesda/

Pastor Guedes disse...

Caro Isac Sena,

A Paz do Senhor!

Esse mesmo comentário foi publicado em outro post sobre a saída do Gondim da Ultimato e já lhe respondi lá.

Obrigado pela contribuição.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

opoderdasescrituras disse...

Meu Pr, Pastor Guedes!! A paz seja contigo!!

Minha modesta opinião: Para além do já sabido distanciamento da tradição bíblica; e, como o senhor não cansa de recitar, o relativismo, humanismo moderno e o liberalismo de nossa sociedade moderna; Nessas Igrejas (Denominções) históricas reside um fator crucial em nossos dias: A tal da Assembleia Geral!! Vota-se e cumpre-se o que é posto em deliberação.

De forma que a Igreja se vÊ obrigada a cumprir o que a sociedade lhe determina, através de seus representantes, os conselheiros!!

É a tal da democracia no seio da Igreja. Esquecemos, porém, que, em se tratando da IGREJA DE CRISTO na terra, o regime é, ou pelo menos deveria ser, TEOCRACIA.

É lógico a questão e a discussão é mais profunda do que isto!!

No mais, o que digo é: Vivemos dificeis, tempos estes que coincidem com a proximidade da volta de Cristo. Graças a Deus!! O funil está estreitando!!

forte abraço.

Pr Alex.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Guedes,

Temo que tais pastores em breve não possam tomar conta do rebanho. Sucumbirão a outros modismos. Que coisa asquerosa. Além da questão humana, recentemente debatida em meu blog, temos uma influência maligna a nortear uma igreja. O sal se tornou insípido. Oremos porque o Dia se aproxima.

Abraços!

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Alex,

A Paz do Senhor!

Vivemos os últimos dias, os dias que correspondem à Igreja de Laodiceia, igreja dos direitos humano. Hoje, mais do que nunca, os homens querem ver seus direitos cumpridos e atendidos, contudo, nada fazem para observar suas obrigações como cidadãos e cristãos.

São os últimos dias....

Deus lhe abençoe em Cristo Amado.

Pastor Guedes disse...

Prezado Daladier,

A Paz do Senhor!

Concordo com você. Está perseguição silenciosa via para além das leis e das instituições. Há uma opressão maligna, um espírito que resiste à operação do Espírito Santo e tenta impedir a marcha da Igreja. Como não puderam destruir a Igreja, posto que esta é indestrutível por ser a Noiva do Cordeiro, o Maligno resolveu entrar no meio "com sapatinhos de lã".

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

A paz do senhor Jesus Cristo, Pastor Guedes!

Lamentavelmente, percebemos que o mundo com seus valores corruptos e dissociados do Evangelho estão influenciando a igreja hodierna. O quadro de apostasia e de abandono dos pilares fundamentais da fé cristã é perceptível em nosso tempo. O que podemos esperar de uma igreja que não tem mais a Bíblia como sua bússola? O que esperar de pastores que há muito não sofrem mais as Escrituras, antes são indiferentes as suas verdades? Com certeza não muita coisa, a não ser mais desvario.

O fato é que, como bem disse W.W.Wiersbe: "A igreja tem perdido o alto padrão de quem é Deus". Quando isso acontece, infelizmente se abre o espaço para toda uma série de comportamentos e atitudes abomináveis. Mas, é fato que todas estas coisas deveriam acontecer nos últimos dias desta Dispensação. Fomos advertidos de tudo isso pela pena inspirada dos apóstolos e pelos lábios sacrossantos de Jesus, portanto, não é de se admirar que tudo isso esteja acontecendo na atual conjuntura. O que não podemos permitir é que a profecia cumpra-se em nós para a maldição. Se sabíamos de antemão que a apostasia iria se dar em algum momento da história dos homens; e, se estamos vivendo este momento na atualidade, sejamos, pois, sóbrios e diligentes; não nos amoldando às atitudes insensatas de homens levianos que se tornaram imestráveis em seu entendimento, mas sempre tenhamos a disposição em nossos corações, pela misericórdia e graça de Deus, de repudiarmos o erro.

O conselho de Apocalipse é válido : “Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda.” Deus em breve irá trazer a juízo toda má obra dos homens. Nenhum de nós poderá escapar do escrutínio divino. Pelas Escrituras somos exortados a permanecer na verdade do Evangelho e fundamentados na doutrina apostólica afim de não sermos influenciados pela “operação do erro” ( 2 Ts 2.11), que com toda certeza já se desenvolve no mundo.

Observe que acerca disso, Paulo declara claramente em sua epístola que alguns indivíduos serão julgados pelo Senhor por haverem se deleitado com a injustiça. Paulo reitera que tais indivíduos não deram crédito à verdade, por este motivo foram enredados pela mentira. Vejamos: “E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade” ( 2 Ts 2.11,12).

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

Na atual conjuntura percebe-se que muitos já se encontram contados entre aqueles que “dão crédito à mentira” e “deleitam-se na injustiça”. Muitos dos quais, pessoas que se dizem crentes em Cristo Jesus. Mas, como conceber a idéia de que um crente possa tomar tal caminho de apostasia? Basta olhar para os nossos dias e se perceberá que isso está em andamento em muitas igrejas e movimentos ditos evangélicos que toleram toda sorte de aberrações. Nestas igrejas não se prega mais a cruz, todavia um evangelho de contingências meramente humanas. Um evangelho ao gosto do freguês, que evita ferir suscetibilidades e confrontar qualquer que seja com a verdade bíblica. Um evangelho sem poder e sem unção do alto. Plenamente antropocêntrico e apóstata.

Está é a igreja tolerante, como a Igreja de Tiatira( Ap 2.18-29), que seduzia os servos do Senhor à prostituição e a comer das coisas sacrificadas aos ídolos; e cujo discurso mundano já fede como um cadáver em putrefação avançada perante os céus. Tal igreja não subsistirá caso não se arrependa de seu caminho de desvio. O arrependimento é o único caminho possível para se escapar deste círculo vicioso de destruição e decadência espiritual. Caso persistam, nada há mais a se fazer.
Pedro declara “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?” ( 1 Pe 4.17). Pensemos bem nestas palavras e ponderemos detidamente sobre as mesmas. Não podemos de maneira alguma, face à santidade do Altíssimo permanecer indiferentes brincando com o pecado. O juízo divino será implacável, inclusive sobre nós, se não vivermos segundo a Palavra. Condescender com o pecado é como se o estivéssemos praticando ou desejosos de praticá-lo. Sobre isso, Paulo assevera: “Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” ( Rm 1.32). Paulo está falando sobre vários comportamentos ímpios, entre eles, o homossexualismo. Se alguém quer ser contencioso quanto a esta palavra que o seja. Mas o que está escrito é imutável. Os que insistirem em seu caminho obstinado de iniqüidade e não se dobrarem ao peso desta evidência bíblica, perecerão.

Pastor Guedes disse...

Prezado Irmão Geovani,

A Paz do Senhor!

Achei seu comentário excelente!!!

Deus continue abençoando o Amado.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

A paz do Senhor Jesus Cristo,Pastor Guedes!

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo. Sempre que tiver oportunidade,estarei visitando este blog abençoado. Já o adicionei em minha lista de brogs em meu blog pessoal:

http://cristianismoemdia.blogspot.com//

Aproveite este comentário como uma nova postagem em meu blog.

Fique na Paz de Cristo!

Fabio disse...

Irmãos, Quem é sujo se sujes mais, más quem é santo se santifique mais, pois Jesus está as portas para buscar sua igreja.

Hoje os valores estão se invertendo, temos que levar a igreja (Cristo) para o mundo e não o mundo para igreja.

Maranata ora vem Senhor Jesus

Um grande abraço a todos e fiquem na Paz do Senhor Jesus

Pastor Guedes disse...

Caro Fábio,

A Paz do Senhor!

Obrigado pela visita e comentário.

É isso mesmo! Vivemos dias difíceis que tendem a piorar, nem por isso vamos cruzar os braços, mas devemos lutar para manter a pureza da Igreja de Cristo!

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!