quarta-feira, 18 de maio de 2011

PREGADORES MIRINS: CHAMADA OU INFLUÊNCIA?

O texto a seguir é do meu amigo Alex Silva, obreiro, psicólogo e articulista do Jornal Nosso Setor da Assembleia de Deus em Vila Espanhola. Dê a sua opinião sobre os pregadores mirins!

Pregadores Mirins. Chamada ou influência?
É benéfico para uma criança? O que a psicologia diz sobre o assunto?
O que pensa o ministério da igreja? É teologicamente correto?

O que antes era motivo de chacota, hoje ser evangélico parece ser moda e quando se trata de criança “prodígio”, vira notícia na mídia. Nunca houve tanta evidência de pregadores mirins como nos últimos anos nos veículos de comunicação. A televisão tem inserido em suas programações, o que há alguns anos vem ocorrendo dentro das igrejas. Meninos e meninas que pregam em púlpitos, agora tomam boa parte de talkshows promovendo o evangelho e dizendo aos telespectadores que receberam uma chamada divina para tal missão. Mas isto é benéfico para uma criança? O que diz a psicologia? O que pensa o ministério da igreja? Existe base teológica para isso?

A revista Época publicou na edição 644 (20 de setembro de 2010) uma matéria intitulada “Uma menina superpoderosa” que relata a história de Alani Santos, uma garota de apenas seis anos de idade, que vive em Alcântara, Rio de Janeiro. Filha do pastor Adauto Santos, da igreja Pentecostal dos Milagres, ela é conhecida como a missionarinha Alani. Ela ainda não prega, mas após os sermões de seu pai, ela entra em cena fazendo orações por pessoas enfermas, o que resulta em algumas pessoas curadas.

Associando o nome da igreja ao papel que a pequena Alani faz depois das pregações de seu pai, será que foi uma imposição ou ela, com apenas seis anos de idade, tomou esta iniciativa? A revista afirma que nos cultos, o pastor Adauto repete várias vezes que a própria pessoa é culpada por sua doença, por não exercer sua fé. Enquanto isso, a pequena Alani continua orando pelos enfermos e recebe vários convites para ministrar orações por curas divinas em outras igrejas.

No programa SuperPop (REDETV), apresentado por Luciana Gimenez, é onde os pequenos notáveis encontram mais espaço. A chamada pastorinha Ana Carolina, da cidade do Rio de Janeiro, hoje com 16 anos de idade, já freqüentava o talkshow desde pequena. Alega que com quatro anos de idade começou seu ministério e que já pregou no maior evento missionário do mundo, GMUH - Gideões Missionários da Última Hora. Ela já esteve no Raul Gil, Gugu Liberato, Leda Nagle (Rede Brasil), Wagner Montes (CNT) e na Márcia Goldsmith (Band), mas sua entrevista com a apresentadora Gimenez no final do ano passado durou cerca de dez minutos, o que não é pouco num programa de televisão. Com um tom de voz rouca, típico de quem prega com freqüência, ela mostra habilidade na sua entrevista e aproveita para anunciar que Deus pode fazer milagres.

Para a psicóloga Carla Oliveira Mello Mota, da OBPC (O Brasil Para Cristo - Mandaqui), muitas vezes a criança tem vontade de imitar um líder influente. Ela se identifica, imagina-se pregando, em evidência, ensinando e admoestando o público, demonstrando um sentimento de superioridade em relação os demais.

Quando perguntei se esses pregadores mirins tomam decisão própria ou são influenciadas, Carla disse que depende muito da faixa etária deste pregador, como foi educado e se tem um bom referencial cristão para seguir e imitar. Porém sabe-se que o adulto influencia muito para tomada de decisões e determinam a realização desta função para a satisfação própria e não da criança - o que é prejudicial - pois cada um deve ter a capacidade e a liberdade para escolher o que deseja fazer.

Ela ainda alerta para as conseqüências de uma postura precoce: “Quando pais, familiares, líderes espirituais desrespeitam as vontades infantis e depositam suas expectativas nos pregadores mirins, prejudicam o desenvolvimento emocional destes. Por respeito e obediência aos pais ou líderes espirituais, a criança desempenha a função contrariada, deixa de vivenciar situações cotidianas que para sua idade seriam naturais e normais para satisfação dos outros que admiram. Normalmente, quando os pregadores mirins se tornam independentes, muitas vezes se revoltam com todos e até se desviam do evangelho”.

O pastor, teólogo e escritor Ciro Sanches, que intitulou em seu blog “Pregadores Mirins ou miniaturas de animadores de auditório?”, diz que os chamados pregadores mirins são miniaturas dos pregadores malabaristas. Afirma que empregam bordões como “Ei, psiu, diga para o seu irmão: Sonhador não morre!”, e ainda “Crente que não faz barulho está com defeito de fabricação”, além de terem trejeitos, berrarem ao microfone, correrem de um lado para o outro e darem golpes no ar. “Ora, Deus usa a quem quer e como quer, inclusive meninos, adolescentes e jovens como Samuel, Davi, Josias, o menino Jesus, Timóteo, etc. Mas não podemos aceitar com naturalidade a exploração infantil, o mecanicismo e o artificialismo. Além disso, não devemos tolerar, nos infantes, a soberba, o comportamento de celebridade e a imitação de um modelo que não está de acordo com a pregação cristocêntrica, ainda que usemos como justificativa o fato de as crianças serem ingênuas e, até certo ponto, inocentes”, afirma Ciro Sanches.
  
Já o colunista e apologista do Jornal Nosso Setor Célio Roberto diz que Deus usa quem ele quer e como quer, mais sempre respeitando os limites de cada um. Deus pode usar uma criança, mas nos limites de uma criança. É visto na Bíblia o exemplo de Jesus no meio dos doutores com apenas 12 anos de Idade e que Ele foi o garoto mais importante e especial para Deus. Quando Jesus foi encontrado no meio dos doutores, não estava ensinando e dando lição de moral ou de teologia nos doutores da Lei, como afirmam alguns. Ele estava ouvindo-os e interrogando-os. Diante das respostas para um garoto de 12 anos, os mestres ficaram maravilhados. Não vemos em Jesus um pregador Mirim. Nem em João Batista ou Paulo, a quem o Senhor escolheu ainda no ventre. Deus criou o ser humano, e conhecendo a sua estrutura, respeita os limites.

Célio afirma que na parábola dos talentos, está escrito que o Senhor usa cada um conforme a capacidade que tem. Por isso, ele não usa como quer, mas respeitando os limites de cada ser humano. Outro fator interessante, é que tudo tem um tempo determinado por Deus, e ele sabe esperar. “Não sou contra os pregadores mirins, só acho que eles não têm o conhecimento e a estrutura para fazer o serviço de uma pessoa adulta. E Deus sabe disso e respeita os limites de todos nós. Pregar o evangelho, especialmente para multidões e para pessoas não crentes, exige muito preparo de um pregador, coisas que uma criança dificilmente tem. Precisamos tomar cuidado com isso”, conclui.

Para o pastor José Wellington Costa Júnior (vice-presidente do ministério do Belém) os pregadores mirins precisam desfrutar da infância, adolescência e mocidade, merecendo uma atenção especial, pois desde criança se tornam referência. Por pregarem a Palavra precisam ser acompanhados de perto pelos pais e seus pastores e precisam de apoio, reconhecimento, incentivo do ministério e acima de tudo de oração para que o Senhor os use sempre.

“É importante que participem da atividade da igreja, de acordo com a faixa etária, principalmente da Escola Bíblica Dominical. O pregador mirim tem de saber desde cedo que para pregar precisa ouvir”, afirmou. Pastor Wellington Júnior finaliza dizendo que acima de tudo, algo precisa ficar gravado nos corações dos pequenos preletores: “Quem tem mensagem para dar é o Senhor, portanto a glória será sempre pra Jesus”.  
A cada dia parece aumentar a quantidade de pregadores mirins, haja vista a quantidade de sites que divulgam esses pequenos notáveis. Para mim, o importante é que o evangelho seja pregado, mas que criança pregue como criança e que adulto nunca pregue como “menino”.
 Alex Silva
 alexlecar@ig.com.br

12 comentários:

Missionária Bella Dourado disse...

Pastor Guedes este assunto é delicadíssimo.

Sabemos que as crianças até seus quatro anos assimilam tudo com a maior facilidade.

Mas também sabemos que o Senhor usa quem Ele quer onde Ele quer.

Por outro lado para mim "que tenho o lado tomé acentuado", eu acredito em dom daquela criança que vive longe das midias, longe dos pregadores e apaixona-se e prega a palavra de DEUS, ou seja ela trilha os próprios caminhos.

O Sentimento que arde em muitos campesinos de descobrirem mais de Jesus e o buscam já em pequena idade, estes fatos eu já observei e são reais.

Mas quando a coisa vai pra midia, não tenho opinião formada, pois o próprio Jesus não fazia markting de seus milagres.

Oremos para que DEUS nos mostre a verdade e que prepare e use estas crianças conforme a sua vontade.

Paz!
Convido o Pr. a visitar o blog do meu marido Pr. Dalmo Dourado.
www.dalmodourado.blogspot.com
Agora que ele esta tentando encaixar o blog na agenda , é um desperdício porque o material que possui certamente poderá resultar em várias publicações.

Abençoada noite para o Senhor e sua familia.

Pastor Guedes disse...

Prezada Missionária Bella,

A Paz do Senhor!

Sua opinião é sempre muito importante aqui nesse blog. Desculpe a demora para publicar, mas não estava acessando a net o dia inteiro.

Quanto ao blog de seu esposo, pode deixar, vou acessá-lo agora.

Deus lhe abençoe.

J.C. de Araújo Jorge disse...

Prezado Pr. Guedes.

Eu considero um crime pais que se comportam como verdadeiros mercenários, usando suas crianças como meio de vida para arrecadar ofertas, alguns para compensar suas frustrações, outros até para alimentar seu fanatismo religioso. Com isto, as crianças tem sua infância roubada e má formação psicológica. Quando não, ficam submetidas a possíveis influências satânicas num ambiente de guerra espiritual, onde satanás não está de brincadeira.

Os que usam a passagem de Samuel como justificativa, alegando que quando menino, SAMUEL entregou a Eli uma profecia de Deus, não significou de forma nenhuma que ELE assumiu o sacerdócio de imediato, mas somente quando adulto, que culminou com o cumprimento da referida profecia.

Deus usou uma mula para falar com Balaão, contudo a mesma não teve permissão do SENHOR para sair pregando a Palavra.

Outro texto muito usado pelos defensores de tal aberração, é que Jesus aos 12 anos de idade fazia perguntas aos doutores da Lei como quem tinha conhecimento das Escrituras Sagradas. Apesar do menino Jesus demonstrar conhecimento bíblico, o Senhor Deus não permitiu que quando criança tivesse autoridade para ensinar e pregar à adultos, a não ser aos 30 anos de idade, quando iniciou seu ministério. Demonstrando desta forma, que no Reino de Deus há coerência e respeito. O que muitos evangélicos de plantão não praticam por falta de Temor à Deus; e principalmente por falta de conhecimento e entendimento das Boas Novas do Evangelho de Cristo, que é a Salvação eterna para todo aquele que crê.

http://discipulodecristo7.blogspot.com/

Paz Seja Contigo!

Pastor Guedes disse...

Caro J. C. de Araújo,

A Paz do Senhor!

Suas palavras são fortes, mas vejo muita coerência em seu texto, principalmente quando supõe que muitos pais lançam toda sua frustração, por não ter sido um grade pregador ou profeta, sobre as costas dos filhos. Trata-se de uma espécie de compensação passada à geração seguinte, do tipo: "Eu não pude ser, mas filho será!"

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Fruto do Espírito disse...

Pr. Guedes, retorno a este blog com muita alegria.

O que tem acontecido em algumas igrejas "pentecostais" é assustador!
Como se não bastasse, os pseudos avivamentos do cai-cai, dentes de ouro, paletó mágico que derrubam pessoas, montes com gravetos encandescente, entre outros, que só demonstraram infantilidade daqueles que não eram dirigidos pelo ensino do Novo Testamento.

Como era de se esperar, esse movimento dito pentecostal, não rendeu nenhum fruto para o Reino, pelo contrário, criou-se gerações de crentes desiquilibrados em busca de sinais para crerem, invertendo o que está escrito em Marcos 16. 17a.
Infelizmente satanás, o oportunista de plantão, continua usando de engano com aqueles que não querem a Verdade do Evangelho de Cristo, por isso faz uso desta mais recente novidade, já que as anteriores, foram de alguma forma desmascaradas. Ou seja, estão usando crianças inocentes em benefício próprio, prejudicando seu desenvolvimento emocional(alma)e também espiritual; pois muitas delas, quando na fase de entendimento, não querem aceitar o verdadeiro Evangelho, porque o que lhes apresentaram foi uma deturpação do que é realmente as Boas Novas do Evangelho de Cristo.

http://frutodoespirito9.blogspot.com/

***Shalom***

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Guedes,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Excelente postagem!

Nec essitamos anunciar que esta situação deve ser encarada com total responsabilidade e que o que ocorre não passa de jogos de interesses.

A afirmação... "Para mim, o importante é que o evangelho seja pregado, mas que criança pregue como criança e que adulto nunca pregue como “menino” ... demonstra os cuidados que se deve exercer diante destes fatos que certamente merecem cuidados.

O Senhor seja contigo, nobre pastor!

O menor de todos os menores.

Julio Cesar de Souza disse...

Pastor Guedes,

A Paz do Senhor.

Tenho certeza que o Senhor nosso Deus ainda tem os seus servos que voluntariamente e obedientes
ao IDE de Jesus, cheios do Espirito Santo, divulgam a precisosa semente do Evangelho,

E muitos destes vivem no "anonimato", indiferente de sua faixa etária.

Para o ponto em questão, é importante salientar que
a mídia televisiva, sempre tem seus objetivos comerciais apoiados no que se identifica VENDAVEL e atraente ao publico Brasileiro.

Quando da abertura da midia para estes pregadores mirins, é importante observarmos
se estes pregadores mirins chegaram a grade da midia por resultado de um trabalho jornalistico, cujo cerne da pesquisa era o reflexo
salutar da comunidade evengélica no seio de nossa sociedade, ou
se é apenas uma estratégia de Marketing Televiso que aproveita o momento em que a etiqueta "evangélicos / gospel" esta em alta e ainda para corroborar encontra nos pais destes pequenos, cláusulas contratuais que agradam ambos os lados.

Puro aspecto MERCADOLÓGICO.

O BRILHO ainda deve ser o brilho de Jesus, e não dos olofotes de um estudio de TV.


Espero em Deus que, nossas crianças e adoslescentes, envolvidos neste contexto,
não suscitem em alguns a oportunidade para criticas absurdas apoiando-se
por exemplo nos preceitos e diretrizes presentes no estatuto da criança e do adolescente,
e assim tal pratica não venha ser objeto de ataque a Igreja de Cristo.


Prefiro ver nossas crianças "honrando pai e mãe " para que se prolonguem seus dias
na terra !!!!!

Apenas uma breve reflexão sobre o assunto.

Cordiais saudações em Cristo Jesus.

jéssi disse...

http://parandopararefletirje.blogspot.com/ ... Paz pastor ... bom eu achei muinto interesante seu blog gostei muinto mais se pudese dar uma passadinha no meu blog . agradeço desde já!

Pastor Guedes disse...

Caro Jessi,

A Paz!

Agradeço por visitar meu blog. Já visitei o seu e tornei-me seu seguidor.

Forte Abraço.

Pastor Guedes disse...

Fruto do Espírito, Pr. Newton e Júlio César,

A Paz do Senhor!

Agradeço pela presença dos amados aqui e pelos comentários deixados.

Gostaria de poder comentar cada um, mas estou trabalhando muito agora rsrssrs

Voltem sempre.

Vocês são sempre muito bem vindos!

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

isabelsantana2011@hotmail.com disse...

Amei o blog do senhor.
Parabéns.
Deixo o blog Belas Artes Médicas.
um abraço.

Pastor Guedes disse...

Prezada Isabela,

A Paz!

Também gostei de seu blog e já estou seguindo-o.

Deus lhe abençoe.

Abraço.
No Amor de Cristo!