sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

FALSOS ENSINOS DO FALSO APÓSTOLO MIGUEL ÂNGELO (PRIMEIRA PARTE)

Para o Pr. Natanael Rinaldi, que já foi presidente do ICP e um dos maiores apologistas do Brasil “o herético também tem alma e precisa ser convencido do seu erro. Como fazê-lo senão pela apologética? Além disso, existem os membros de igrejas que precisam ser orientados sobre os erros doutrinários das seitas” . Apesar de seus mais de setenta anos, permanece um estudioso das seitas nacionais e estrangeiras, pesquisando-as por meio de livros, jornais e revistas “As estatísticas mostram que as seitas crescem pelo descaso da liderança das igrejas evangélicas. É o que Jesus falou a respeito da Parábola do Trigo e Joio. Enquanto o dono do campo dormia, vieram os inimigos e semearam o joio”, afirma o Rinaldi.  Extraído do site do ICP - Instituto Cristão de Pesquisa.

Natanael Rinaldi é Pastor, Apologista, Advogado e foi meu professor na antiga ESTE - Escola Superior de Teologia Evangélica. Ele não lembra de mim, claro. Sou apenas um de seus milhares de alunos, mas eu não posso esquecer esse homem de Deus e o peso de suas aulas, que influenciaram minha vida "acadêmica". Quem me conhece sabe que gosto de pregar e ensinar, dizendo onde está escrito. Isso aprendi com o mestre que nos presenteia com esse artigo sobre a igreja do "apóstolo" Miguel. Para não ficar muito extenso, publicarei o estudo em três partes.


FALSOS ENSINOS DO FALSO APÓSTOLO MIGUEL ÂNGELO


Por Natanael Rinaldi

O livro de Hebreus 13.9 nos adverte contra doutrinas estranhas dizendo: “Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque é bom que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram”. Existe uma denominação com um título no qual se identifica como “evangélica”, mas que pouco tem realmente de evangélica. Denomina-se Igreja Evangélica Cristo Vive-Crescendo em Graça. Ela não tem características que a identifiquem como realmente evangélica. Suas doutrinas são baseadas em revelação de quem se intitula apóstolo primaz dessa igreja por nome Miguel Ângelo da Silva Ferreira. Para nós evangélicos, a Bíblia é a nossa única regra de fé. Baseados nela, é que nossa forma de crer está alicerçada. Não é o caso do líder fundador dessa igreja.

MENINOS INCONSTANTES LEVADOS POR ELA 

Diz ele: “Em minha igreja há pessoas de muitas denominações: evangélicas... E quando elas chegam, eu as recebo como eleitas e escolhidas do Senhor, por isso elas se sentem animadas por mim e por toda a igreja. Considero que minha igreja é uma cidade de refúgio para todos.” (Respostas em Graça para Perguntas da Lei, p. 27, série Renovando a Mente, volume 19). 

Não foi sem razão que Paulo falou sobre determinados crentes: “para que não mais sejamos meninos, inconstantes, levados ao redor por todo vento de doutrina, pela fraudulência dos homens, pela astúcia tendente à maquinação do erro;” (Ef 4.11)



1. ORIGEM:
 os ensinos característicos dessa igreja, que se diz evangélica, nada mais são do que ensinos pregados por José Luiz de Jesus Miranda, auto-intitulado apóstolo e fundador do Ministério Cresciendo em Gracias. A sede mundial desse ministério fica em Miami, Flórida, nos Estados Unidos. Estes ensinos foram adotados pela Igreja Evangélica Cristo Vive-Missão Apostólica da Graça de Deus. A sede da Igreja Evangélica Cristo Vive-Missão Apostólica da Graça de Deus fica no Rio de Janeiro – Rua Maricá, 320 – Campinho, cujo líder fundador é o apóstolo primaz Miguel Ângelo da Silva Ferreira. Nascido em Luanda, Angola, África. Diz ser portador de tantos títulos que se torna cansativo repeti-los. Mas citamos alguns: Executivo, Professor, Advogado, Bacharel, Mestre, Doutor em Teologia, ThD, PhD em Ciências da Religião, DD-Doutor em Divindade. Foi ordenado com a unção de Apóstolo e Profeta pela Convenção Christian International Network, USA e foi honrado com o título de Teólogo do Século pela Faculdade Filadélfia. (informação colhida da capa de trás dos seus livros).


2. FONTE DE AUTORIDADE RELIGIOSA:
 As igrejas evangélicas declaram que sua autoridade religiosa está baseada na Bíblia e afirmam: “Cremos ser a Bíblia a Palavra de Deus, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão”. Diferenciando-se das demais igrejas evangélicas o fundador Igreja Evangélica Cristo Vive, daqui para frente identificada pela sigla IECV coloca “suas” revelações em pé de igualdade com os escritores bíblicos. Arroga para si ter tido revelações especiais do próprio Deus, e com essa unção única expõe suas doutrinas muito, muito mesmo estranhas. Afirma ele amiúde em seus livros: 

“Eu estou pregando e ensinando o que nunca ninguém pregou, porque ninguém sabia disto”. “Esta é a razão da minha existência na obra de Deus, pregar com tenacidade nas rádios, na TV, nos púlpitos e em todos os lugares onde vou.” (Predestinação Uma Visão de Deus, p. 16, volume XIV, Série Crescendo em Graça). 

“Pela primeira vez no Brasil em cento e cinqüenta anos de evangelho, se manifesta esta palavra de graça que vai colocar a igreja de Jesus no seu devido lugar.”(Rudimentos de Obras Mortas, p. 32, volume 24, Crescendo em Graça)

“O poder que está em mim é infinitamente maior do que aquilo que eu penso, ou aquilo que eu peço a Deus.”
 (Idem, p. 34).


RESPOSTA APOLOGETICA: Muito embora as reivindicações de possuidor de revelações exclusivas da parte de Deus, a autoridade da Bíblia é indiscutível. E é a ela que devemos obediência. “Sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado.” (Rm 3.4) “... para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não se ensoberbecendo a favor de um contra outro.” (I Co 4.6).


3. BIBLIA MUTILADA: Além de arrogar para si ser o único pregador dos mistérios de Deus, anula quase toda a Bíblia. Assim, a maior parte da Bíblia é posta fora sob o falso argumento de que pertencia ao Antigo Concerto terminado na cruz (Jo 19.30). Vejamos como Miguel Ângelo se explica:

 “Nós temos que aprender, de uma vez por todas, que Mateus, Marcos, Lucas e João e grande parte da Bíblia Sagrada foi escrita por judeus e para os judeus. A Bíblia é um livro essencialmente judaico. Muita coisa que nós fazíamos no passado, era imitação de princípios e ordenanças judaicas. Do Gênesis ao livro de João, está contida e encerrada toda lei e seu cumprimento. No livro de Atos dos Apóstolos estão as ações dos apóstolos, não sendo, portanto um livro doutrinário. A doutrina para os gentios que são os predestinados de Deus, porém, não tendo sangue judeu, são as quatorze epístolas de Paulo. Eu costumo dizer, que as epístolas de Paulo são o filtro da Bíblia. Se a palavra pregada não estiver contida nas epístolas de Paulo, não será palavra destinada aos gentios.”... Quero dizer com isto que, só Paulo teve a revelação, somente ele teve os fundamentos para a igreja gentílica. Ele mesmo diz ter lançado os fundamentos como excelente construtor. Os outros apóstolos, Judas, Tiago, Pedro e João eram pregadores para os judeus. Nós, que somos gentios, não devemos imitar os judeus, uma vez que temos para nós uma palavra específica, pois somos gentios predestinados. Este era o mistério que estava oculto.(Mistério dos Anjos, p.26,27-Série Crescendo em Graça – volume XI – 3a. edição).
 

RESPOSTA APOLOGÉTICA: Resumo: dos 66 livros de nossas Bíblias são excluídos 52, só restando para nós, gentios, 14 epístolas de Paulo. Qual igreja evangélica que elimina pura e simplesmente da sua Bíblia 52 livros por serem destinados aos judeus? Não é doutrina estranha? Como se explica que Paulo, o escritor preferido do eminente apóstolo primaz da IECV declarou ser toda a Bíblia inspirada e proveitosa? (2 Tm 3.16) E observemos que Miguel Ângelo não se acanha de afirmar que ninguém durante os cento e cinqüenta anos de vida evangélica ignorou o que só ele agora ficou sabendo por “revelação”; que, para os evangélicos, não passa de falsa revelação de homens.

“E disse-me o Senhor: Os profetas profetizam falsamente no meu nome; nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, e adivinhação, e vaidade, e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam.” (Jr 14.14). O próprio escritor que ora se qualifica escreve, “O ser humano é religioso, gosta de ver e ouvir coisas místicas.” (Respostas em Graça para Perguntas da Lei, p. 23, série Renovando a Mente, volume 19) Realmente, é isso que lemos nos livros do escritor que ora estamos analisando.



Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

4 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

conheço o miguel de longa data e já frequentei muito a igreja cristo vive. é verdade que certas coisas que ele diz gera polêmica mas muitas coisas ele diz com razão. ou seja, é verdade que a maior parte da bíblia é judaica. mas será que ele esqueceu que o próprio jesus era judeu...?

o seu maior defeito é a vaiadade que não lhe cabe nos doutorados que ele diz que fez. o que eu duvido muito.

abraços

Pastor Guedes disse...

Caro Eduardo,

A Paz!

Que bom que você se pronunciou acerca de seu conhecimento do Miguel. Estava preocupado, pensando que você não voltaria mais aqui rsrsrsrs

Não só jesus era judeu como seus primeiros seguidores o foram, inclusive Saulo, que apesar de pregar aos gentios defendia que a lei era boa e tinha seus sermões e estudos embasados em livros como Isaías, Oséias, Salmos, etc.

Também duvido que alguém possa ter tantos títulos assim e concordo com você sobre a vaidade do pretenso "apóstolo.

Forte Abraço.
No Amor de Cristo!

Missionária Bella Dourado disse...

Adorei o estudo , vou correr para segunda parte.

Pastor Guedes disse...

Missionária Bella,

Que bom.

Paz!